Escolha uma Página
Operação militar por terra e mar
Homens armados simulam ação de defesa na área do Porto de Imbituba
MARCELO BECKER [email protected]
Dezenas de militares armados estão a postos no porto de Imbituba, no Sul do Estado. Mas é apenas um treinamento. Desde ontem, o comando do 5º Distrito Naval de Rio Grande e também do Exército executam a chamada operação Interportex Sul, que simula procedimentos para o caso de surgimento de situações que possam colocar em risco a segurança ou funcionamento do porto.
De acordo com o delegado da Capitania dos Portos, em Laguna, e comandante da operação militar, capitão-de-corveta André Luiz dos Santos e Silva, o estado de alerta e prontidão atinge todo o perímetro do porto por terra e água.
– Os exercícios buscam garantir a operação normal dos trabalhos do porto e segurança de toda infraestrutura no caso de algum distúrbio civil ou tentativa de sabotagem. Se houvesse alguma manifestação ou invasão, por exemplo, estaríamos prontos para manter a ordem e o funcionamento de carga e descarga dos navios – explica Silva.
As primeiras ações da Interportex Sul, que terminam hoje, começaram a partir do portão de entrada da unidade portuária. Todos os veículos e pessoas passavam por uma rigorosa revista, o que gerou filas em alguns momentos.
Perto do cais, militares armados estavam atentos para impedir a evolução de alguma ameaça que surgisse na área.
– São as situações de surpresa, como a chegada do inimigo, que irão acontecer durante os dois dias de treinamento, por isso essa movimentação de homens armados – observa o comandante da operação.
Um treinamento como esse já havia acontecido no porto de Imbituba em 2007. No caso de uma emergência real, o deslocamento por mar dos militares da base em Rio Grande até Imbituba é de 12 horas, mas dependendo da necessidade, esse tempo seria menor com a viagem de helicóptero.
DIÁRIO CATARINENSE
Skip to content