Escolha uma Página
A investigação própria da Organização das Nações Unidas (ONU) confirmou ontem que a causa oficial da morte do general Urano Teixeira Bacellar foi suicídio. A informação foi divulgada pela Missão de Paz da Organização ONU no Haiti (Minustah), por meio de nota em seu site. Chefe da Força de Paz ONU no Haiti, Bacellar estava no comando da Minustah desde setembro de 2005 e foi encontrado com um tiro na cabeça no quarto do Hotel Montana, em Porto Príncipe.
Na nota, a ONU diz que essa também foi a conclusão da investigação brasileira. No entanto, o laudo oficial realizado pelo Instituto Médico Legal (IML) de Brasília só será divulgado daqui a nove dias, segundo informou a Polícia Civil do Distrito Federal. Ontem, o diretor-geral da Polícia Civil, Laerte Bessa adiantou que um laudo preliminar do IML indicava que o general Urano Bacellar havia cometido suícidio.
Em entrevista por telefone à Agência Brasil , o diretor de Comunicação da Minustah, David Wimhurst, disse esperar que seja realizada uma “investigação bem feita” sobre as causas da morte do general brasileiro. Segundo ele, agora o país se prepara para superar problemas de segurança para realizar as eleições, previstas para daqui a três semanas. Mais de 30 candidatos disputam a presidência do Haiti. O Exército Brasileiro disse que só comentará a informação divulgada ontem quando o governo brasileiro for comunicado oficialmente pelas Nações Unidas. 
AGÊNCIA BRASIL
Skip to content