Escolha uma Página
OAB ENFRENTA EXÉRCITO
Os soldados do Exército Nacional Brasileiro que prestam serviços no Corpo da Guarda do quartel do 1º Grupamento de Engenharia e Construção, em João Pessoa, estão cumprindo ao pé-da-letra a ordem de não permitir manifestações políticas dentro da unidade militar.

Revistando visitantes
Até mesmo os freqüentadores das missas dominicais, celebradas por um capelão na igrejinha que fica localizada ao lado do Hospital de Guarnição, não estão sendo poupados de revista minuciosa, sujeitando os motoristas ou proprietários dos veículos que portem bandeirinhas, decalques e adesivos de candidatos a cargos eletivos no próximo pleito, a terem todo esse material apreendido, sem maiores explicações.

Na mira das armas
Se o católico fiel insistir em colocar seu carro particular no estacionamento existente no pátio do quartel, será imediatamente “convidado a se retirar do local”, sob a mira de fuzis FAL, calibre 7.62, armados com baionetas na ponta do cano de saída de munição.

Barrando o Procurador-Geral
Por causa desses constantes incidentes, envolvendo até mesmo o Procurador-Geral do Estado, José Edísio Simões Souto, que foi barrado na porta da capela porque estava num automóvel portando um adesivo de campanha política, a seccional local da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) interpelou extrajudicialmente o comando do Grupamento, para que o mesmo franqueasse a entrada de cidadãos comuns nos locais abertos ao público, dentro do quartel.

Adesivos liberados
Depois dessa providência, o Estado Maior da Guarnição federal na Paraíba resolveu liberar a circulação de carros adesivados no pátio do quartel, desde que não façam buzinaço e nem seus ocupantes distribuam panfletos ou qualquer outro tipo de material contendo propaganda política. Pelo menos, isso pode.

Giovanni Meireles/PB Agora

Skip to content