Escolha uma Página

SILVANA RIBAS
A GAZETA

Foi preso um dos suspeitos da participação na execução do capitão do Exército Brasileiro Rodrigo Elpídio da Silva, 33, morto a tiros no bairro Jardim Cuiabá na noite do dia 14 de março de 2009.
Trata-se de Vanderlei Lenzi Corrêa Guimarães, 29, o “Chatinho”, que ainda foi indiciado por tráfico de drogas. Na casa dele, além de um papelote de pasta-base, foi localizada uma porção de droga a ser “batizada” e uma balança digital.

O capitão do Exército, Rodrigo da Silva, que foi executado após discussão no trânsito

Segundo o delegado Márcio Pieroni, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), há meses que o suspeito vinha sendo monitorado. O objetivo era recuperar com ele a pistola calibre 380, usada para matar o militar. A arma não foi localizada, mas existem informações seguras de que estaria com ele.
É de Vanderlei o veículo Gol vermelho, usado para levar o assassino até o local do crime. Nele havia 3 pessoas. Uma delas, cúmplice de Vanderlei, já foi identificada e já é investigada pela participação em outra execução.
Com a prisão de um dos suspeitos Pieroni acredita que chegará a real motivação da morte e a prisão dos outros envolvidos. Vanderlei alega inocência e disse não conhecer a vítima.
O capitão Rodrigo tinha cerca de 170 militares sob seu comando no 44º Batalhão. Naquela noite havia participado de uma festa organizada por ele na formatura de alunos no Círculo Militar e depois seguiu para outra festa, promovida por amigos militares na residência de um deles.
As investigações apontam que o crime foi premeditado e aconteceu pouco antes de Elpídio entrar na segunda festa. Ele ainda tentou sacar a pistola para reagir, mas a arma acabou falhando.
Skip to content