Escolha uma Página
O presidente venezuelano, Hugo Chávez rejeitou nesta sexta-feira como “inviável” a proposta do assessor especial da Presidência brasileira Marco Aurélio Garcia de que um “sistema de monitoramento entre a Colômbia e a Venezuela” se ocupe da segurança na fronteira entre os dois países, envolvida em tensão devido à crise diplomática entre os dois países. Para Chávez, o problema não é a fronteira, mas o acordo militar entre os Washington e Bogotá, que daria aos americanos uma “licença para matar”, como a do personagem 007.

Em discurso transmitido pela TV na abertura da 5ª Edição da Feira Internacional do Livro 2009, em Caracas, Chávez lembrou que essas propostas foram levantadas, primeiro em privado e em público recentemente, pelo assessor especial para assuntos exteriores do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e disse que a proteção da fronteira “é uma questão de soberania e soberania não se discute”.

“Ele próprio [Garcia] está propondo algo que é inviável”, disse Chaves, citando a criação de um sistema de acompanhamento entre a Colômbia e a Venezuela. “Nós cuidados de nossa fronteira, como o Brasil cuida da do Brasil.” Leia mais.

Skip to content