Escolha uma Página
Está preso na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) o sargento Walter José Trindade Alves, que confessou ter matado o comerciante Luis Cláudio Barbosa, 45 anos, dia 14. Amigos há mais de 20 anos, suspeito e vítima teriam discutido em virtude de uma transação financeira e depois disso o militar, que se dizia ameaçado pelo comerciante, o matou em sua casa, no bairro Toyota. O corpo foi abandonado em Vargem Alegre, Barra do Piraí, quando o acusado utilizou o próprio carro da vítima, o Monza placa KTL-5450.
Desde o ocorrido, familiares do comerciante denunciaram seu desaparecimento na delegacia e iniciaram buscas por conta própria, culminando na localização do carro da vítima nas dependências da Aman. O veículo estaria sob a responsabilidade do sargento Walter, mas ele estava ausente da sua unidade, o Batalhão de Comando e Serviços, desde o dia 16. Walter se apresentou ao Comando da Aman no dia 18 e confessou ter matado o amigo e auxiliou os policiais na localização do corpo. Por ter expirado o prazo de flagrante, a Justiça não pôde decretar sua prisão imediata.
O caso foi conduzido para a Polícia Civil, e com base nas investigações policiais o Juizado da Vara Criminal da Comarca de Resende emitiu mandado de prisão preventiva por tempo indeterminado contra o militar, sob acusação de homicídio.
Walter foi conduzido terça-feira, por volta das 18h50min, para a 89ª Delegacia de Polícia. Por ser militar, foi transferido para a carceragem da Aman, onde permanece preso. “Trata-se de um mandado de prisão que o deixará preso na Aman por ser militar, aguardando os procedimentos da Justiça”, afirma o delegado titular da 89ª DP, Marcos Henrique de Oliveira Alves.
Skip to content