Escolha uma Página
A Polícia Federal e o Exército são acusados por três comunidades indígenas, que vivem na Reserva Raposa Serra do Sul, em Roraima, de ameaça e destruição de casas e equipamentos de garimpo com explosivos durante a operação Escudo de Ouro, realizada na semana passada segundo afirma o jornal Folha de S. Paulo deste sábado.
Dez pessoas foram presas – entre elas cinco índios-, e dez garimpos foram localizados, segundo informou o Exército.
Um dos índios disse ao jornal que os policiais e militares ameaçavam com armas de fogo quem tentava proteger os equipamentos usados para a extração de ouro e diamante.
De acordo com a Secretaria do Índio de Roraima, uma recente estiagem prejudicou as lavouras de arroz dos indígenas, gerando assim um aumento na atividade de garimpo na região, apesar da prática ser ilegal em terras indígenas, segundo afirma o jornal.
O secretário Estadual do Índio, Jonas Marcolino, disse ao jornal que a prática é uma questão de sobrevivência na região.
Comento:
É o imbecil coletivo grassando na mídia (de novo)!
Então, os malvados policiais e militares “ameaçavam com armas de fogo” quem tentasse proteger a destruição dos instrumentos de garimpo? Que barbaridade, não?
O fato da atividade ser ilegal é o que menos importa, afinal, depois de Lula fazer conchavo com Judas, tudo pode.
Salvem os indiozinhos de Roraima dos homens brancos, maus e perversos. Ah, se não fossem as ONGs, o que seria destes infelizes?
As lavouras de arroz foram prejudicadas pela seca?
Uéééé, com aquela imensidão de terra a disposição, não dá para catar uns coquinhos?
Tem muito mais a ver com silvícolas ansiosos por retornar às origens, não é mesmo?
Skip to content