Escolha uma Página

Minha homenagem a todos os Soldados do Brasil, com este texto intitulado “Carta a um filho recruta”, de autoria de uma pessoa extraordinária com quem tive o privilégio de conviver, o Tenente Ruben Barcellos de Mello.

CARTA A UM FILHO RECRUTA
Ruben Barcellos de Mello
Quando estiveres suando o topete na ordem unida, na formatura ou na marcha a pé, estarei atento aos teus movimentos, aos teus passos e às tuas tensões. Quando estiveres em instrução, posso estar em dois lugares: no lugar do aprendiz e no do instrutor. Porque já estive lá por muito tempo. Na verdade, este tempo consumiu mais da metade de minha vida. E estarei atento porque tu és a minha continuação, e a poeira que cobriu o meu coturno há de cobrir o teu também.
Quando estiveres no campo, estarei espichando as cordas que receberão teu cansaço e tua determinação. Na barraca, serei o teto que te abriga e o chão que te ampara. Quando a bússola em tuas mãos buscar a direção dos pontos no terreno, estarei afastando os metais que podem representar a diferença entre o sucesso e a desclassificação do percurso. Porque já orientei a carta que manuseias e os prismas nunca voltaram as costas para mim.
Quando estiveres na guarita, minha sombra vai pisar onde pisas, vai se inquietar com a aproximação do rondante e vou respirar aliviado, quando a guarda vier substituir-te para o merecido repouso. Porque conheço a solidão das madrugadas e a geada que amortece teus dedos e o calor que te faz suar da testa até a sola do pé.
Quando estiveres no alojamento, estarei na porta, atento ao bater das portas dos armários, ao fechar dos cadeados e às vassouras correndo atrás do lixo. Estarei em frente da TV, contando vantagens e aumentando um ponto a cada conto. Porque já dormi na cama que hoje estendes e já levantei muitas alvoradas antes mesmo que tivesses nascido.
Quando estiveres debaixo da chuva, ensopado até os ossos, estarei atento, seguro de que após o molho, uma roupa seca vai te trazer de novo o conforto que te falta. Isso porque já torci muitas fardas e outras tantas secaram no calor do meu corpo.
Quando estiveres de folga, ainda assim estarei por perto, rindo o teu riso, pregando peças que não constrangem; ao contrário reforçam a amizade e confirmam a camaradagem. E te digo que valores maiores do que estes – a amizade e a camaradagem – só dois lhes sobrepõem: o amor de Deus e o respeito pela Pátria. Porque vivi a alegria da camaradagem e o conforto da amizade.
Quando estiveres no campo de futebol, não me procures na platéia. Estarei ziguezagueando por entre a grama macia, mudando a trajetória da bola, montando num pé-de-vento ou balanceando a rede dos sonhos onde jamais perdemos um gol. Porque senti o clamor da torcida, a euforia da vitória e a incredulidade da derrota.
Quando, enfim, estiveres no final da carreira, avançando em anos, com alguns dentes a menos e alguns quilos a mais, ainda assim estarei contigo. Prá te dizer que começaria tudo de novo, renovado na experiência da vida que se ganha, na bagagem profissional que se conquista e no amor pela Pátria, que nunca se acaba. Porque fui o soldado comum que és, com tudo o que faz dele um homem… fora do comum.

BRASIL ACIMA DE TUDO!

Skip to content