Escolha uma Página
Dois soldados do Tiro de Guerra de Guarulhos, na Grande São Paulo, foram presos depois de roubarem quatro adolescentes no início da madrugada desta quinta-feira. O crime ocorreu na mesma rua em que fica um posto da Polícia Militar na cidade. Dois menores de idade que estavam com os soldados também acabaram sendo detidos.
As vítimas caminhavam pela rua quando os suspeitos chegaram em um carro e anunciaram o assalto. Na hora do crime, os soldados não estavam fardados, segundo as vítimas. Elas contaram que os assaltantes pediram celulares, dinheiro e relógio. Em seguida, mandaram que o grupo fugisse correndo. Os jovens acionaram a polícia e passaram uma descrição do carro usado pelos criminosos.
A Polícia Militar conseguiu prender os suspeitos, que estavam dentro do veículo usado no assalto, meia hora depois. Um dos soldados estava fardado, e as armas estavam escondidas na parte da frente do veículo. Os policiais também encontraram a roupa que um dos soldados usava na hora do assalto. Um relógio e R$ 10 levados das vítimas também foram recuperados.
Os dois soldados foram autuados por roubo e serão encaminhados para uma prisão do Exército. Os dois adolescentes suspeitos de participar do crime devem ser encaminhados nesta quinta para a Vara da Infância e Juventude de Guarulhos.
Nota do editor: a reportagem demonstra desconhecimento sobre a finalidade de um Tiro-de-Guerra, que nem são unidades militares, mas sim estruturas mantidas pelas prefeituras.
UM ATIRADOR DE TIRO DE GUERRA NÃO É UM SOLDADO. Ele recebe instrução militar durante um ano, sem interromper suas atividades civis. Após, é considerado reservista de 2ª Categoria. Porém, convém não esqueçer que uma manchete com o título “SOLDADOS DO EXÉRCITO PRESOS POR ASSALTO” tem uma repercussão (negativa, claro) muito maior na mídia.
Skip to content