Lula confirma general citado no caso Marielle na chefia do Estado-Maior do Exército

general_richard

Richard Nunes foi responsável por indicar delegado Rivaldo Barbosa à chefia da Polícia Civil durante intervenção no RJ; martelo sobre promoção foi batido durante reunião de comandantes com Lula nesta quinta (28)

O general Richard Nunes está confirmado como novo chefe do Estado-Maior do Exército. O martelo foi batido durante reunião dos comandantes das Forças Armadas com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), nesta quinta-feira (28), no Palácio do Planalto.

Richard Nunes foi secretário de Segurança do Rio de Janeiro em 2018. Assumiu o cargo por indicação do general Walter Braga Netto, então interventor no estado e hoje aliado próximo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Foi nessa ocasião que Richard Nunes nomeou o delegado Rivaldo Barbosa como chefe da Polícia Civil do Rio.

Rivaldo é um dos suspeitos de articular a morte da ex-vereadora Marielle Franco. Foi preso no último domingo (24), junto com os irmãos Chiquinho e Domingos Brazão.

Nos últimos dias, Lula teria reclamado a aliados sobre a possível designação do general a um dos cargos mais estratégicos do Exército.

O Estado-Maior é o órgão de direção geral responsável pela elaboração da política militar terrestre, pelo planejamento estratégico e pela orientação do preparo e do emprego da força terrestre.

Diferentemente de uma secretaria-executiva de ministério, entretanto, a função não significa ser o número 2 do Exército. Isso porque o chefe do Estado-Maior não substitui o comandante em caso de ausência — o substituto é o general quatro estrelas mais antigo da corporação. Nunes é o sétimo atualmente em antiguidade.

A alta cúpula do Exército defendeu o prosseguimento da nomeação do general e convenceu o presidente.

Sob reserva, fontes ouvidas pela CNN disseram que outro argumento foi a proximidade de Nunes com o Comandante do Exército, Tomás Paiva, e com o general Amaro, do Gabinete de Segurança Institucional. Ele seria de estrita confiança de ambos.

Para esses militares, a aparição de Richard Nunes como responsável pela indicação de Rivaldo é um fato sem nenhuma suspeita de compactação com o caso Marielle.

À CNN, o general disse nesta semana que a indicação de Rivaldo não é motivo para constrangimento.

“Não tenho nenhum constrangimento em confirmar isso, haja visto que a indicação seguiu critério de competência técnica, e naquele momento, inclusive, amplos setores da sociedade do Rio de Janeiro entenderam que tinha sido uma ótima escolha”, disse.

CNN BRASIL – Edição: Montedo.com

12 respostas

  1. o cara não tomou seu chá de ervas medicinais hoje. Não tem nada de pior do que governo de eSquerda….veja os números e tirem as sua conclusões.

  2. Alguns caíram no canto da sereia do falso meçias e estão sendo responsabilizados na forma da lei. O povo brasileiro precisa de sossego e trabalho pra que todos tenham uma vida digna. Ideologia não paga as contas de ninguém.

  3. Nessa atual quadra tupiniquim tudo é relativo.

    A mora é relativa.

    A ética é relativa.

    A honestidade é relativa.

    O problema é que a verdade, o fato histórico, tal qual aconteceu, não admite relativismo.

    Assim, um dia vem à tona cobrar seu preço.

  4. Caso fático onde a lei do magnetismo na física não se aplica, mas sim contraia no caso de certas pessoas.
    Na física: os opostos se traem.
    Em certo grupo: Os iguais se unem.

  5. Tivesse ele por ventura, feito parte do governo Bolsonaro, estaria nesse momento com a corda no pescoço, com 100% de certeza, até ele sabe que não estaria assumindo o cargo de Chefe do Estado Maior do Exército. Mas tudo bem, se o Alexandre de Moraes deu aval, tá tudo dominado, ele é quem manda no Estado tupiniquim mesmo. A verdade, é que todos estão se curvando ao Excelentíssimo Ministro Alexandre de Moraes. Todos sem exceção, ele é o verdadeiro poder humano da republiqueta das bananas

  6. Aquele espelho d’água na frente do planalto vai ser pequeno.
    O temor é que quando há superpopulação desses peixes, começa a canibalização.
    É perigoso isso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo