‘Não deixem Bolsonaro na mão’, disse Zambelli, segundo ex-chefe da FAB

Casado com a deputada federal Carla Zambelli, que apoia o presidente Jair Bolsonaro, o coronel Oliveira é subordinado ao secretário nacional de Segurança Pública, general Theophilo Gaspar de Oliveira

Segundo o brigadeiro Baptista, Zambelli fez o mesmo pedido ao general Paulo Sérgio

Rafael Neves
O ex-comandante da Aeronáutica Carlos Batista Júnior disse em depoimento à Polícia Federal, em fevereiro, que a deputada Carla Zambelli (PL-SP) pediu a ele que ajudasse a reverter o resultado das eleições de 2022.

O que aconteceu
Baptista disse à PF que foi abordado por Zambelli em dezembro de 2022, após uma formatura militar em Pirassununga (SP). O encontro, portanto, ocorreu um mês após a derrota de Jair Bolsonaro para Lula nas eleições.

Veja o diálogo do brigadeiro Batista Jr. com Zambelli — segundo depoimento do ex-chefe da FAB:

– Zambelli: “Brigadeiro, o senhor não pode deixar o Presidente Bolsonaro na mão”.

– Batista Jr.: “Deputada, entendi o que a senhora está falando e não admito que a senhora proponha qualquer ilegalidade.”

Segundo Baptista, Zambelli fez o mesmo pedido ao general Paulo Sérgio de Oliveira, à época Ministro da Defesa. No depoimento à PF, ele disse que Oliveira “reportou ao depoente [Baptista] que foi abordado pela deputada federal Carla Zambelli de forma semelhante”.

Nota da defesa da deputada Carla Zambelli (PL-SP)
“A Deputada Carla Zambelli, atualmente em licença por motivos de saúde, através de sua defesa, esclarece que DESCONHECE os fatos envolvendo essa minuta, reiterando que igualmente jamais anuiria, pediria ou solicitaria algo irregular, imoral ou ilícito. Ademais, não se recorda desse fato reportado e se, porventura, pediu acolhimento, o fez por causa da derrota nas eleições, apoio que seria perfeitamente plausível naquele momento.”
UOL

2 respostas

  1. Já deixaram tia. Te contei não?!
    Se em tempo de paz os “amiguinhos” do Bolsonaro estão cantando igual canário. Imagine em uma guerra! Kkkkkkkk.
    Of desmaia quando a PM chega. O Exército precisa de uma autocrítica.

  2. Essa daí babava o Bozo por conta do carguinho do marido. Uma vergonha. Faz jus a música cantada pelo próprio mestre: “Te amo espanhola …”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo