Dengue: hospital de campanha da Aeronáutica será instalado na terça no DF

aedes aegypit

Nesta sexta (2/2), o GDF e a Aeronáutica definiram a logística do hospital de campanha que será destinado apenas para os casos de dengue
Rebeca Kemilly
O hospital de campanha da Aeronáutica para combater a dengue será instalado em Ceilândia, no Distrito Federal, na próxima terça-feira (6/2), segundo a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio. O Governo do Distrito Federal (GDF) e a força armada definiram a logística da estrutura nesta sexta-feira (2/2).

O hospital ficará ao lado da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ceilândia e do Hospital Cidade do Sol, na Área Especial D, Via P1 Norte. Em conjunto, os três centros médicos reunirão 150 leitos para tratamento e internação de pacientes.

“Conversei com a Aeronáutica e até terça-feira estará pronto aqui no Distrito Federal. Essa é a previsão caso não houver nenhum contratempo”, explicou a secretária.

Servidores da Secretaria de Saúde serão recebidos pelo Hospital Cidade do Sol para que a capacidade de 60 leitos de internação seja atingida. A UPA segue recebendo pacientes em estado grave para tratamento e internação.

“A dengue tem estrangulado ainda mais a saúde pública. Esse local aqui foi estrategicamente escolhido porque 40% dos casos de dengue estão referenciados em Ceilândia e Sol Nascente/Pôr do Sol. Esse hospital da Aeronáutica vai cuidar e tratar exclusivamente dos casos de dengue”, pontuou a vice-governadora, Celina Leão (PP), durante visita ao local.

Serão 45 dias de funcionamento, 24h por dia, na estrutura temporária da Aeronáutica. Os militares serão responsáveis por ceder o corpo de funcionários, inclusive médicos.

A população vai poder buscar atendimento no local, diferentemente do Hospital Cidade do Sol, que necessita de regulação e encaminhamento dos pacientes.

“É um hospital construído em módulos. Serão oito módulos, sendo sete assistenciais e um de laboratório. Nós teremos aqui a força de trabalho do RH da Aeronáutica, todo o corpo de médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e os profissionais que virão junto com o hospital”, disse Lucilene Florêncio.

A UPA Ceilândia 2, no Setor O, e o Hospital Regional de Ceilândia também apoiarão o complexo no encaminhamento de pacientes de acordo com a demanda, já que o Hospital Cidade do Sol e a UPA continuarão recebendo pacientes com outras doenças.

Nos últimos dias, o Ministério da Defesa cedeu 247 militares para reforçar as ações do governo. Os militares estão nas ruas, nas vistorias às casas, como motoristas de fumacê e atuando nas ambulâncias.

“A ideia é montar oito unidades de saúde. O atendimento vai ser clínico e pediátrico na situação de dengue. Vamos dar o primeiro atendimento, fazer a parte de hidratação rápida, que seriam os casos menos graves e aqueles que precisam de uma hidratação um pouco mais prolongada, de 24 a 48 horas”, disse o brigadeiro do ar Mauricio Braga, subdiretor de Saúde da Aeronáutica.

“Precisou de uma internação mais séria, eles seguem para a retaguarda aqui do hospital, da UPA ou uma regulação para um hospital de maior capacidade”, acrescentou o militar. Leia mais.

METRÓPOLES

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo