Militar fingiu usar cadeira de rodas por 20 anos para receber R$ 3 milhões

Veterano fingiu usar a cadeira de rodas para receber benefício
Imagem: Reprodução

Após ser descoberto, o veterano foi levado a julgamento e se declarou culpado

Colaboração para o UOL, em São Paulo
Um militar veterano dos Estados Unidos, identificado como Chistopher Stultz, 49, admitiu que fingiu usar cadeira de rodas por 20 anos para receber benefício social.

O que aconteceu
Stultz recebeu o equivalente a R$ 3,3 milhões de assistência social pela suposta perda dos movimentos inferiores. O militar teve a farsa descoberta após ser flagrado “andando normalmente” em visita ao Departamento de Assuntos de Militares Veteranos. As informações são do The Mirror.

Após ser descoberto, o veterano foi levado a julgamento e se declarou culpado pela falsificação para ser enquadrado como “incapacitado” e receber o benefício. Ele também teria alegado os supostos problemas de mobilidade para adquirir “carros especiais projetados para ajudar veteranos com mobilidade reduzida”, com preços inferiores aos veículos regulares. Testemunhas do convívio do veterano informaram às autoridades que nunca souberam que ele tivesse qualquer problema ou dificuldade de locomoção.

Sentença de Christopher Stultz deve ser publicada em 6 de maio de 2024. Ele pode ser condenado a cinco anos de prisão e a três anos de liberdade condicional. Ainda, o militar pode ser obrigado a devolver todo o valor que recebeu de forma fraudulenta nas últimas duas décadas.

Christopher Stultz atuou na Guerra do Golfo, embate travado por forças lideradas pelos Estados Unidos contra o Iraque entre agosto de 1990 e fevereiro de 1991.

6 respostas

  1. Aqui na OM tem um montão disso aí….

    Tem um Sargento que só conversa através do advogado, pois disse que não pode ver mais a farda ou falar com militar, que entra em depressão….pediu até reforma, mas malha todo dia, namora, corre….Leva uma Vida boa que dá inveja…

  2. O exemplo é logo uma praça. Tem militar de alta patente que passa a vida punindo praças por esses motivos. Quando vão para a reserva encontram um jeitinho para reforma. E adeus IR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo