A visão dos militares sobre as turbulências dos últimos tempos

Lula na AMAN

O ano complicado, que começou com o ataque de 8 de janeiro, termina com a percepção de ameaça às instituições se dissipando, avaliam oficiais
Míriam Leitão
O ano começou turbulento para a relação entre civis e militares e está terminando, na visão de alguns oficiais que ouvi nas três forças, muito melhor do que começou. Por isso, dizem que vão com tranquilidade para as comemorações que o governo prepara para o 8 de janeiro. “A democracia saiu fortalecida”, me disse um oficial superior. Os militares admitem que houve “contaminação” de parte das Forças Armadas pelas ideias do bolsonarismo, mas o mais importante, segundo eles, é não ter havido um único movimento de tropas. O Exército, afirmou um general, tem 680 estabelecimentos militares e não houve um único ato.

O que um dos oficiais me disse é que o 8 de janeiro serviu para arrefecer o ímpeto antigoverno. “Se havia alguma indignação com a eleição do presidente Lula, passou a haver reprovação ao que houve em 8 de janeiro e um arrefecimento das críticas ao presidente Lula”. A explicação é que quem levantava bandeiras contra a esquerda ficou constrangido diante da evidente ilegalidade dos atos.

Ninguém com quem eu falei esconde a inclinação política das Forças Armadas. “Somos conservadores e na área dos costumes sempre vamos estar mais à direita”, afirmou um integrante da Aeronáutica. Segundo uma fonte do Exército, foi dito com todas as letras ao presidente Lula que a maioria dos militares da ativa, da reserva e dos policiais militares votou “no outro candidato”. Mas isso é natural e faz parte do direito de voto.

O problema foi ver as dificuldades que ocorreram na passagem de Comando das Forças, até porque acontecia na mais alta hierarquia. No Exército, o general Freire Gomes passou o comando ao general Júlio César Arruda no dia 30 de dezembro, antes da posse, na presença do então vice-presidente Hamilton Mourão, e houve nova mudança, no dia 21 de janeiro, quando o general Tomás Paiva assumiu. Arruda, entre outras coisas, não aceitava suspender a nomeação do tenente-coronel Mauro Cid para comando de unidade. Na Marinha, o almirante Almir Garnier se negou a passar o comando para o almirante Marcos Sampaio Olsen. A única transição normal foi na Força Aérea, onde assumiu o brigadeiro Marcelo Damasceno. O que eu ouvi na Marinha é que Garnier depois disso se isolou. Hoje ele não tem comparecido às cerimônias militares da força.

Apesar de atos de indisciplina, como o do almirante Garnier, o que é ressaltado por eles é que o rito democrático foi respeitado. O eleito foi empossado, governa e tem o respeito das Forças Armadas. “Ele é o novo comandante supremo das Forças Armadas”, ressaltou uma das fontes. Na visão dos militares também não houve erro na tumultuada relação da comissão do TSE. Dizem que oficiais do Alto Comando do Exército nunca quiseram participar, porque avaliavam que não era função das Forças Armadas. Têm, contudo, uma visão positiva do resultado porque duas das sugestões que deram foram aceitas e isso aperfeiçoou a urna eletrônica.

Perguntei aos militares sobre os acampamentos em frente aos quartéis e a estranha conivência deles com a permanência de pessoas ali pedindo ditadura militar. Admitem que havia muitos familiares de militares acampados, mas um general me disse que se tivesse havido uma ordem judicial para a retirada, ela teria sido respeitada. “Tanto que nos dois lugares onde houve ordem judicial, os acampados foram retirados.” O que eles contam é que tudo começou em 2018, na greve dos caminhoneiros, quando ocorreram os primeiros acampamentos. “E nem o MP agiu, nem a Justiça determinou a retirada. Depois, virou moda”.

O resumo das conversas em que quis ouvir a versão dos militares sobre os eventos recentes é que, na visão deles, o mais importante desse final do ano é que está se dissipando “a percepção de ameaça” às instituições democráticas. “Não pode haver essa percepção de que o Brasil possa ter um retrocesso que não cabe mais no século XXI.” Segundo essa fonte, “qualquer outra solução é anacrônica e os problemas da democracia se resolvem na democracia”. E completou, “temos de acabar com as dúvidas”.

Eles são a favor da PEC que impede que um militar que entre para a política volte para as forças. E também apoiam o retorno da Comissão de Mortos e Desaparecidos. “Enquanto houver desaparecido é dever do Estado procurar”. O ano foi turbulento, mas saí das conversas com a impressão de que sim, o ano termina muito melhor do que começou.

Com Ana Carolina Diniz

O Globo

30 respostas

  1. Quem alavancou a candidatura de Lula foram os militares que se juntaram ao governo do Mito. Ainda não está explicada a existência dos acampamentos em área militar…

  2. Imagina Miriam Leitão discorrendo sobre a “visão” dos militares.

    Seria o mesmo que um indivíduo “vegano” discorrer sobre a “visão” dos pecuaristas, por exemplo.

  3. Atenção Linguagem Chula!
    Um troço que acontece planejado lá nos estamentos superiores, mandado para os instamentos inferiores executar e agora pedem pra
    Alguém, um falar o que os militares pensam sobre os atos de 8 de Janeiro? Um monte de Gente da Alta atolado até o pescoço no comunismo, um monte de praça pedinte de esmola pro Nome e seus amigos. E o final o resumo da ópera. A alta está e sempre foi corrompida, é só estudar um pouquinho e a baixa sempre sendo esquecida em todos os governos sendo eles militares ou não, esquerdistas ou não direitistas/ progressistas ou não. Nós Sargentos de Carreira não podemos confiar em ninguém e fazer pra nós. Do recruta ao General somos um Hiato incoveniente na estrutura e ninguém deve sentir mais honrado que nós. Nossas insígnias brilham, brilharam e sempre brilharão!!! Sinta se valorizado pelos senhor dos exércitos pois ele sim sabe de tudo.

        1. Gostaria de discorrer sobre o assunto para que vc pudesse entender, com base na história, Sociologia antropologia, ciência política , filosofia e geografia e costumes, porque o Brasil nunca poderia ter um regime como o cubano, nem como o suíço, mas vc talves não esteja interessado na verdade, é mais fácil assustar uma criança com o Veio do saco, pelo grau de entendimento, do que explicar-lhe sobre os perigos da vida. Continue temendo o Veio do saco.

        2. Em Cuba existe uma ditadura. Ditaduras são parecidas, tanto de esquerda quanto de direita. Em regimes comunistas, inexistentes no planeta, não existe o setor privado, todos dividem tudo em nomo do Estado. Estudar é sempre bom

        1. O atual presidente apenas ironizou, pois para os extremistas da turma do Bozo, Dino é comunista rs
          Pesquise sobre o período em que Dino governou o Maranhão; foi o período de maior instalação de empresas, iniciativa privada, empregos etc etc.

      1. O socialismo/comunismo prega uma sociedade igualitária, só que nivelada por baixo, onde pessoas comem cachorro e os líderes arrotam caviar. Vai vendo!

        1. Socialismo é uma coisa, comunismo é outra. Não confunda Estado do Bem Estar Social com socialismo ou comunismo. A miséria do Maranhão, assim como nos demais estados brasileiros é fruto da má distribuição de renda. O Maranhão recebeu dezenas de indústrias nos últimos anos. Dino era o governador. Se Dino fosse comunista encamparia todas as empresas privadas transformando-as em estatais. Faria com que todos os trabalhadores trabalhassem para o estado. Estudantes iriam para o campo plantar e colher, todos dividindo a mesma comida. O senhor está perdido em suas informações.

  4. Então, concluindo, temos militares apolíticos, dando opiniões politicas, que foram e estão sendo defenestrados da politica participando de manifestações politicas em 08 de janeiro para sacramentar apoio politico ao atual governo.

  5. Militares Sob condição de anonimato disseram que …

    blá blá blá 🤣🤣🤣 kkkk pra cima de mim com um caô desse !!! Logo eu subtenente , sambista e carioca Da gema !!! Não é o que se vê no dia a Dia da tropa … Todo mundo de coronel para baixo revoltado Com esse governo … a exceção são generais de bolso cheio e os QEs de macacão sujo e linguajar Mais sujo ainda … kkk

  6. Exército Da Vergonha, Considerou O Bolsonaro Indigno Ao Oficialato (É A Opinião Institucional, Ele É Indigno, O STM Que Não Permitiu Sua Exclusão), E Depois Veio Dar Diploma Da Esao E Medalha Do Pacificador Com A Palma. Comadres Que Se Ve Vendem, Jogam No Time Que Está Ganhando, Vergonha!!!!

    Pelo bem do Exército e da memória do povo brasileiro, o 8 de janeiro deve ser investigado:

    Pq deixaram o esbulho possessório (acampamento) no qg

    Pq impediram que a PM prendesse os vândalos terroristas

    Pq o gsi não defendeu o perímetro igual juraram, “com sacrifício da própria vida” (com militares assim, melhor ter vigilantes patrimoniais civis)

    Pq algumas pessoas detidas e entregues ao exétcito (bgp) “sumiram”.

    Mas o Ministro Alexandre vai esclarecer tudo. As penas estão sendo todas acima de 16 anos!!!

  7. No final tudo continua igual: oficiais na boa, praças na m., Brasil sobrevivendo, políticos cafa vez mais políticos, eu envelhecendo e nada se altera

  8. Bem agora é a hora das FFAA argumentarem que não tivemos este reajuste de 9 dado aos outros servidores e conseguir algo diferente, pelo menos para os praças.

  9. Mentira da mais pura e falsa cara lavada! No meu âmbito, não há quem não esteja indignado, mas, é claro, ninguém é bobo de falar tudo o que sente. Afinal, não vale a pena colocar a carreira em risco e o sustento da sua família por um bando de imbecis que gostam de ser vassalos. Não critico os oficiais generais que não tomaram a frente; seria um tiro no escuro e colocar toda a sua existência em risco. Acredito que nenhum militar, na verdade, queria essa virada de mesa, afinal, geraria uma faxina monstruosa para todos os militares da ativa. Imagina ter que controlar um país de tamanho continental como o nosso só com as tropas militares? Não sei se as polícias participariam, e é provável que até se rebelariam contra o novo comando.

    Não é fácil aceitar que esse cara barbudo venceu, mas se até quem inspecionou não achou nada, sustentar uma coisa desse tipo sem provas contundentes é, sim, golpe. Alternância de poder é assim: assume um ruim hoje, outro pior amanhã, e só nos resta aceitar da melhor forma possível e aturar o escolhido. Sinceramente, eu não queria que tomássemos o poder; seria um porre e muita dor de cabeça. A melhor forma é deixar o país afundar, sofrer com os erros, e esperar que escolham alguém decente. Bolsonaro, pelo menos para mim, nunca foi a melhor opção, mas dentro dos outros que concorriam, era o menos pior

  10. Prezado, o que rotulam de comunismo e socialismo nada mais é do que a usurpação de renda de quem trabalha e produz, domínio econômico sobre as riquezas naturais e territórios, gerando concentração de renda para os controladores desses regimes.

    Quem controla e enriquece vai querer abdicar dessa usurpação já que agem em conluio e consorciados controlando orçamento trilionário?

    Criando regras, medo, insegurança, confronto de classes inventadas, auferindo grandes ganhos financeiros, poder politico, econômico, informacional e financeiro, legislação em proveito próprio, posses territoriais, poder em empresas estatais, zombando e escarnecendo das religiões, da honestidade e de um ensino técnico/profissionalizante; tudo isso sob as máscaras do bem, da virtude, da desfaçatez dos “direitos humanos”; controlando eleições e estamento jurídico, empobrecendo a população com taxas, impostos, pedágios, os mais diversos tipos de regras de controle da produção… são alguns comportamentos seculares de canalhas que querem impor o que vc vai vestir, comer, comprar e determinar teu modo de vida de acordo com a maneira pela qual possam te controlar mais e mais. Comunismo/socialismo, nada mais é do que isso, ditadura e controle social.

  11. Montedo era para sair matérias de tropa amiga, que ajudassem os militares. Pessoas que somassem. Agora matéria de uma pessoa que odeia militares e que foi presa por militares. Considerada gerrelheira e fazendo Comentários de militares ai é pra se acabar. pQP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo