Vídeo flagra momento que soldado do Exército é espancado até a morte no DF

Breno tinha 23 anos: polícia pede ajuda da população para auxiliar na captura dos envolvidos - (crédito: Material cedido ao Correio)

Polícia Civil investiga o caso e pede a ajuda da população para identificar agressores. Denúncias podem ser feitas anonimamente

Francisco Dutra
Testemunhas filmaram o espancamento do soldado do Exército Breno Caraíba, morto aos 23 anos durante uma festa, no último fim de semana, em Santa Maria. Amigos e familiares do jovem se despediram do militar nesta terça-feira (16/5), durante o velório e sepultamento da vítima, no cemitério Parque Memorial, no Novo Gama (GO), Entorno do DF.

Veja as imagens:

O caso é investigado pela 33ª Delegacia de Polícia (Santa Maria). A Polícia Civil do DF (PCDF) pede ajuda da comunidade para identificar os agressores. As denúncias podem ser feitas de forma anônima pelo telefone 197, ou pelos canais disponíveis neste link.

Companheiros de farda homenagearam o jovem militar durante todo o velório. A cerimônia reuniu cerca de 50 pessoas e foi transmitida pelas redes sociais, para acompanhamento de parentes de Breno que não conseguiram participar presencialmente da despedida.

Deixará muita saudade
Uma tia de Breno falou sobre o sobrinho durante a solenidade e agradeceu a presença de militares do Exército. Ela contou que o jovem sempre quis entrar para as Forças Armadas e vivia a “melhor fase da vida dele”.

“Breno tinha esse sonho de fazer parte do Exército. Nós vibrávamos e pedíamos a Deus para que desse certo. E deu. Fico grata a Deus por ele [o sobrinho] ter realizado esse sonho, e sou grata, agora, por essa homenagem. Ele, realmente, era um menino muito querido por todos e deixará muita saudade”, lamentou.

Espancamento
Na festa da qual participava, Breno teria se desentendido com dois homens no momento em que ia ao banheiro. Pelas mídias sociais, uma pessoa relatou ter visto um dos agressores dar um “mata-leão” no jovem, que o deixou desmaiado no chão.

Enquanto isso, outro agressor deu um chute na cabeça do rapaz. Uma terceira pessoa chegou a pegar, ainda segundo relatos de testemunhas, um bistrô — tipo de mesa pequena e alta — e jogado no crânio do jovem.

Testemunhas acrescentaram que produtores do evento demoraram cerca de 10 minutos para chegar ao local e que retirou a vítima do estabelecimento carregada pelos braços, pois não havia maca disponível.

Produção apoia investigação
Levado para o hospital, Breno não resistiu aos ferimentos e morreu. Em nota, a produção do evento, chamado “Baile do Gomes”, informou ter contado com “mais que o dobro do quantitativo de seguranças recomendado”.

A produção fez um apelo para identificar os agressores e incentivou denúncias. “Precisamos é chegar nos autores e dar à polícia a verdade dos fatos, para que seja feita justiça por esse jovem e para uma mãe desolada”, afirmou.

METRÓPOLES

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo