Exército gasta mais com viúvas e herdeiros de generais do que com soldados

General quatro estrelas

Viúvas e órfãos de generais recebem bilhões de reais todo ano. Ganham mais que todos os cabos e soldados somados.

José Roberto de Toledo* – Colunista do UOL
Por uma mágica burocrática, alguns desses oficiais nem precisaram morrer para deixar pensões para seus herdeiros.

São os mortos-vivos de farda, como o ex-major Ailton Barros, preso dias atrás acusado de falsificar atestados de vacina do círculo pessoal do seu amigo Jair Bolsonaro.

O ex-major já havia sido expulso do Exército por atropelar colegas de farda de propósito e fazer campanha eleitoral dentro da Vila Militar.

Ele perdeu a patente, mas não a boquinha. Nos últimos três anos, sua esposa recebeu mais de 1 milhão de reais como viúva. Só que Ailton não morreu.

Mas pode isso? Pode: pelas regras do Exército, o militar contribui em vida para o pagamento de pensões à viúva e, mesmo expulso, não perde esse direito.

Há, no entanto, quem veja isso como só mais um exemplo da perpetuação de privilégios na carreira militar.

Quem mais consome dinheiro público, aliás, são as herdeiras dos oficiais que morreram de verdade. Principalmente daqueles com as patentes mais altas.

O UOL teve acesso aos dados de pagamentos do Exército nos últimos 4 anos e constatou que:

Há mais generais por soldado por aqui do que nos EUA. Ou seja, o Brasil tem, proporcionalmente, mais generais na ativa do que o exército mais poderoso do mundo. Ambos têm 175, mas um general brasileiro comanda, em média, quase a metade de soldados que um general americano.

Para cada general de farda, há 24 generais aposentados ou na reserva —os generais de pijama— e 48 herdeiros recebendo pensões integrais. A perpetuação de privilégios gera um efeito cascata com o aumento exponencial de custo.

Existe um gasto de R$ 3,7 bi só de aposentadorias e pensões. Somadas aos salários dos generais da ativa, em torno de R$ 100 milhões ao ano, o custo das aposentadorias de generais e pagamento de pensões integrais a seus herdeiros chegaram a quase R$ 3,8 bilhões só em 2022. Esse valor corresponde ao que o governo gastou para pagar todos os 90 mil soldados e cabos da ativa no ano. Ou 40 vezes mais do que usou para arcar com 175 generais que ainda vestem farda.

O Brasil gastou R$ 94 bilhões para pagar pensões a herdeiros de militares nos últimos quatro anos, considerando todas as patentes. Teria sido suficiente para bancar o Bolsa Família a mais quase 3 milhões de famílias pelo mesmo período.

Por que isso acontece e até quando vamos pagar essa conta?
A maior parte do dinheiro usado para pagar pensões a herdeiros de militares vem do Tesouro. Elas começaram a ser pagas em 1939 a sobreviventes da Guerra do Paraguai e suas viúvas. Pouco depois, suas filhas começaram a herdar as pensões das mães que morriam.

Em 2001, o governo finalmente cortou o benefício. Mas só para quem entrou nas Forças Armadas a partir daquele ano. Manteve o privilégio até para quem estava na academia militar e ainda nem tinha filhos.

Uma projeção do Ministério da Defesa a partir da expectativa média de vida das viúvas e herdeiros estima que o contribuinte pagará a conta até 2096.

* Com reportagem de Luiz Fernando Toledo, Eduardo Militão e Silvia Ribeiro

UOL

27 respostas

  1. Porque será tanto medo de uma opinião própria? Depois repito porque Tantos generais em tempo de paz? A pergunta que não quer calar…. Também porque não falam enquanto é gasto com a folha salarial do pessoal da reserva em valores dentro de casa patente? Porque será? São perguntas que não querem calar………..

  2. Por achar isso uma anormalidade no ano de 2001 não assinei a MNP 1,5%, Mesmo sendo jovem. Na mão contrária, meu irmão com três filhos sendo duas mulheres, assinou. Na minha opinião, acho que temos que dar educação e fomentar o cateter e a moral para os filhos seguirem bem seus caminhos e não fomentar “amaziamentos” e que pessoas não trabalhem e nem estudem. Qual o resultado no meu caso? Minha prole única está se formando em Engenharia e a prole do meu irmão não tem emprego fixo, não estudaram e só vivem pendurados no meu irmão. Então, fiz certo na minha escolha.

    1. Como disse a escolha coube a mim na época, pois a lei e fruto de escolhas morais e éticas do legislador da época do regime militar, que para mim, não havia sido antes da MP e na MP respeitando o Direito adquirido, cortou a partir da data.

      1. Situação já foi pacificada em 2001!!
        Quer acabar com o benefício da pensão das filhas solteiras??
        Blz…
        Devolve os mais de 30 anos de contribuição que fiz com juros e correção monetária!
        Reportagem puramente revanchista!!

    2. Qual é o seu problema?
      Pancada dura vc deve ter levado no particular e profissional.
      Sempre nesse azedume extremo, derrotismo nato.
      Que sujeito desagradável.

  3. Esse Assunto deveria ser aprofundado de maneira a dar conhecimento a quem paga, pelo que paga e quanto? Quem sabe a nação na está sustentando burro a pão de Lo?

  4. A mídia nunca fala das vantagens do judiciário até auxílio moradia para quem tem casa e auxiliar educação para filhos, mas é a pensão que desconto para minha filha que vai quebrar o Brasil hahahaha.

    1. Não existe pensão vitalícia para filha de juiz
      Nem para filha de deputado
      Nem para filha de ngm.
      Só de militar que nunca foi pra guerra.

      É uma vergonha mesmo. E tem major na ativa que a filha nem nasceu mas que tem esse privilégio de ter um filho que nasce aposentado.

      Tem que perguntar a quem paga essa conta mesmo, já que 1.5% do soldo não paga essa conta.

      87% do orçamento da defesa é para pagar inativos e pensionistas. O 1.5% não paga nada, o orçamento paga, com impostos do povo trabalhador que se aposenta após 65 anos de idade (no mínimo) com o teto do inss, e paga a pensão da filhota do general

      1. Não? Já ouviu falar da Maitê Proença? A jurisprudência é baseada no artigo 5º da Lei 3.378/58. O artigo, na íntegra, é o seguinte:

        “A filha solteira, maior de 21 (vinte e um) anos, só perderá a pensão temporária quando ocupante de cargo público permanente”.

        Este artigo foi usado pelo TRF/1 para garantir o direito a pensão de filhas solteiras de servidores públicos e filhas de parlamentares.

  5. O que choca é a desfaçatez do jornalista e seu propósito apenas de denigrir os Militares.Todos as classes de trabalhadores contribuem com a PENSÃO justamente para amparar a viúva e os filhos,é lei!!! Mas parece que o desinformante da UOL se incomoda com a quantidade que recebem o justo direito, talvez ele esqueça que o efetivo do EB é propocional ao tamanho do território brasileiros Realmente não dá para comparar o EB o efetivo de uma PM.

    1. Só que no caso as filhas, netas, bisnetas … recebem de forma hereditária.
      São quase 28 mil pensões especiais, com 68% sendo do Exército. são 25 mil pensões de ex-combatentes, 7 de veteranos das campanhas do Uruguai e do Paraguai, 487 da Lei da Praia, sem contar as que filhas e netas que já recebem e as que receberão dos que incorporaram antes do ano 2000.

  6. Falaram na pensão 1.5 pras filhas meus amigos esta pensão e como um seguro de vida, pagamos mas ninguém sabe se vai ser usados pelas filhas que infelizmente pode parte antes dos país, agora a lei e justa porque antes não se pagava nada e tinha o mesmo direito, agora o que tem que acabar e esta pouca vergonha do of. ser mandado embora por mal comportamento, das forças armadas e dado como morto e o salário a esposa ficar recebendo isso sim e uma VERGONHA, na vida civil isto não existe, então tem que acabar. mudar e preciso acorda Brasil.

    1. Provavelmente, após trânsito em julgado da sentença condenatória (02) anos ou até pelo resquício administrativo caso haja indícios administrativos para instalação de um conselho de Disciplina.

  7. Só para constar e lembrar que juízes e promotores possuem vitaliciedade decorrente da Constituição após exercício de dois anos e servidores possuem estabilidade conforme respectivo Estatuto (lei) após período probatório de 3 anos. Uma coisa é distinta da outra. Não misturem alhos com bugalhos.

  8. Lembrando que nesta quarta-feira, 17/05:
    – Audiência Pública com Ministério da Defesa para Discutir Lei 13:954.
    Quem estava cantando de 🐓 com os privilégios da Lei do general está preocupado com a decisão do presidente/STF em sancionar sua inconstitucionalidade.
    Tempo, Senhor Absoluto Da Razão.

    1. Não foi pra ESA, não foi pra AMAN, tem que dar graças a Deus de ter estabilizado sem prestar concurso.

      “Primeirão” QE?

      Only in your dreams.

  9. por essas e outras acredito que deveria ser repensado o número de alunos na aman e esa, é gente demais, poderia ser a metade, por isso a conta nunca vai fechar. é preciso valorizar os temporários já

  10. Aos que votaram no 9 dedos eu só vou usar e abusar do velho jargão:

    “fAZ O L!”

    eu já disse uma vez, militar não gostar de bolsonaro é uma coisa, mas votar em esquerdista? lula? haddad? manuela? psolistas? como vcs podem ser tão capachos assim de dar moral a quem não o minimo de respeito por vcs???esquerdistas odeiam militares em geral, agora estamos ai, pagando o pato,e não se enganem, tudo isso irá mudar, tudo, até pensões militares, dou até um prazo, 10 anos!
    mas o lula pode mostrar que eu estou errado, e é só uma má impressão minha, quem sabe uns 20% de aumento? que tal? até lá eu só dou é risada…

  11. A UOL deveria correr atras e ver o Vencimentos do judiciário, aquele que serve cafézinho e motorista de senadores e deputados, ganhando mais que um Sgt do Exército, na minha opinião os praças são mal remunerados, porque quem deveria cuidar disso, Esqueceu nós no meio do caminho, com a Resstrutuação da carreira. eles podem os praças não. Triste não

  12. Não entendo. Pergunto, está Errado? Não, porque está dentro da lei.
    Ah, mas eu sempre achei a lei errada, então, meu amigo, faz outra Lei porque essa é antiga e só agora quer encher o saco.
    O que eu acho um absurdo é focar nesse assunto que está ajustado e sem qualquer Controvérsias legais, sendo que há um monte de “bolas divididas” no serviço público que sangram os cofres da nação mas ninguém fala nada.
    exemplos de falta de respeito, o não cumprimento do teto do funcionalismo público não é respeitado e fica por isso mesmo; o auxílio moradia, independente de quem o tenha é um deboche esse fato gerador, pois a remuneração do servidor é para pagar despesas de comida, segurança, moradia, desenvolvimento pessoal e lazer, cada que faça as suas escolhas com o que recebe; o tempo dado para a quarentena de quem sai para iniciativa privada é baixo e as condições são frouxas.
    Enfim, esse caso é só mais um em que o Jair nos ferrou, pois isso nunca foi problema.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo