Soldado esfaqueia colega em quartel do Exército no litoral de São Paulo

O caso aconteceu no Forte dos Andradas, em Guarujá, litoral de SP Foto: Vanessa Rodrigues/AT

Após o crime, o autor foi preso na própria instalação militar

Guarujá (SP) – Um soldado do Exército foi esfaqueado por um colega na tarde desta segunda-feira (17), em frente ao Forte dos Andradas,  localizado no litoral paulista. Ambos os militares servem no local, que sedia 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea.

De acordo com o Comando Militar do Sudeste, o soldado golpeou o outro com uma faca e a ocorrência foi atendida pela Polícia Militar (PM) e por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O Exército disse que o soldado vítima da facada foi levado ao hospital em estado de saúde estável e não apresenta risco de morte.

Já o agressor, segundo o Exército, ficou detido no interior da sede do Comando de Defesa Antiaérea do Exército, no próprio Forte das Andradas.

Ainda em nota, o Comando Militar do Sudeste disse que todas as medidas administrativas cabíveis estão sendo tomadas para apurar o ocorrido. “As famílias dos militares envolvidos estão sendo assistidas”, concluiu.

A Secretaria Estadual da Segurança Pública (SSP) informou que o caso não havia sido registrado pela Polícia Civil. Já a PM confirmou que atendeu a ocorrência, mas não passou mais informações.

Diferente do informado pelo Exército, a Prefeitura de Guarujá ressaltou que o Samu não foi acionado para atender essa ocorrência e que a vítima também não deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Rodoviária. A assessoria do Exército não se posicionou sobre a divergência de informações.

O Forte dos Andradas ficou conhecido em todo o Brasil por ser o principal local de descanso do ex-presidente Jair Bolsonaro durante feriados prolongados e férias. Ele se hospedou nas instalações várias vezes durante o mandato. A última foi em abril de 2022.

A TRIBUNA/montedo.com

6 respostas

  1. Considero que Bolsonaro foi um péssimo governante e é Igualzinho ao Barba.

    Mas, sinceramente, não entendi a vinculação feita pelo jornal do crime cometido pelo soldado no quartel ao fato do Bolsonaro ter frequentado esse quartel quando Presidente.

    Que imprensazinha nojenta e tendenciosa essa que o país possui atualmente.

  2. Que lástima que isso ocorra dentro de uma unidade militar…nas ruas, nas escolas, no futebol etc. A sociedade brasileira está doente.

    Uma matéria Muito bem feita, vale apena uma visita ao site Revista Sociedade Militar

    Quanto custa um general do Exército brasileiro? Comparamos com os EUA e o resultado foi surpreendente

    Depreende-se desta matéria que a comparação deveria ser com outro exército, algum que não faz guerra a dezenas de anos e, quando fez, não estava preparado para faze-lo, ( FEB ) contando unicamente com a engenhosidade, o patriotismo e o material americano entregue aos militares, o resto pura coragem e desespero.

    Será que não supervalorizamos generais, ministros, juízes, políticos entre outros, por pouco ou nenhum retorno?ou será que dar maior dignidade para alguns faz parte de uma Hierarquia E fundamental para disciplina? Alguém que recebe um bom salário não pode ser disciplinado e não Respeitará a Hierarquia? Quanto será que recebe um general russo ou ukraniano para estar lá no front junto a tropa?

    Bem, a comparação tanto com os EUA como que os russos e ukranianos, não faz o menor sentido baseando-se normalidade conjuntural e Estrutural dos países citados, nossas atividades são lúdicas e de recreação. Quando pagavam o Quinto Para Portugal, brasileiros se revoltaram contra a exploração, o que será que mudou de lá Para cá?

    1. As castas foram consolidadas após a queda de D.Pedro II. Por isso Rui Barbosa já denunciava a ditadura do judiciário: se é amigo eu aplico a Lei, se é inimigo eu aplico os rigores da lei. Trata-se de instituições de Estado corporativistas que se protegem e se congraçam para se manter nos poderes enquanto reverberam milhões de ações sociais caridosas em um futuro que só chega para as castas, elites com seus rendimentos de marajás.

  3. Quando o desequilíbrio emocional prevalece qualquer instrumento é arma quando ocorre a intenção de matar. Talvez nem haja a intenção de matar em muitos casos, mas destruir a circunstancia em que os agentes estão envolvidos, muito comum em conversas de bar, disputas por futebol, namoradas, drogas, disputas por espaço, Bullying e conversas politicas. É por isso que a maioria se arrepende após o ato concretizado.

  4. Pelo que interpretei na minha leitura, foi em frente ao quartel, a Polícia Militar com experiência sobre esse assunto, atendeu a ocorrência, aparentemente foi lesão corporal leve , se o SAMU não foi acionado, não tem registro na Polícia Civil, provavelmente porque a Polícia Militar ( PM) deve ter feito um boletim de ocorrência registrando o fato e relatos, onde a vítima tem 6 meses para representar contra o autor autor. O BO segue o rito normal sendo encamina a polícia Civil para demais procedimentos se necessário. Já a instituição Militar onde pertence os dois Militares, já tomou as demais providências disciplinares pertinentes…fim da história.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo