O presidente do STM e o PT

Lula e brigadeiro Camelo

Tem causado estranheza a alguns a desenvoltura com que o brigadeiro Joseli Camelo transita entre as cabeças coroadas do petismo – Lula à frente – desde que assumiu a presidência do STM.
Quem acompanha o blog há mais tempo entende de onde vem essa familiaridade. Camelo foi comandante do avião presidencial por 12 anos, justamente sob Lula e Dilma. Assumiu a função como coronel aviador e a deixou para assumir uma vaga no STM por imposição de Dilma Roussef, sem exercer nenhuma função de oficial general na FAB.

À exemplo do general Gonçalves Dias, também sujeitou-se a engolir sapos em profusão. Relembre:

O Brigadeiro e o STM
janeiro 10, 2015
O Planalto anunciou ontem que o Tenente-Brigadeiro do Ar Joseli Camelo será o novo integrante do Superior Tribunal Militar, em substituição ao Ministro José Américo, que se aposenta na próxima terça (13). A indicação foi assinada neste sábado pelo ainda Comandante da FAB, Brigadeiro Juniti Saito. Para ser efetivada, a nomeação ainda precisa da protocolar sabatina no Senado, ou seja, são favas contadas.
Joseli foi o comandante do avião presidencial nos últimos doze anos, período em que o PT está no poder. Ou seja, a única atribuição que teve em sua trajetória como oficial general foi cuidar das viagens de Lula e Dilma, função vinculada ao GSI.
“Joseli, por que o avião está sacudindo?”; “Joseli, que curva é essa?”; “Joseli, eu não quero ir mais rápido se for para passar por turbulência”; essas expressões da Presidente Dilma Rousseff renderam-lhe o apelido de “Marechala do Ar”, por interferir, com sua notória sutileza, nos planos de voo do comandante do Boeing presidencial.
Dilma tem horror a turbulências durante o voo. Certo dia – relata a repórter Natuza Nery, da Folha – ela viajava de Brasília a Porto Alegre quando um detalhe curioso chamou a atenção de uma assessora. No lugar de uma linha reta, o gráfico que descrevia a trajetória da aeronave mostrava um ziguezague. Motivo: a presidente insistiu para que Joseli fugisse do agito. Certa vez, o desvio foi tão grande que a aeronave fez a “curva” em Mato Grosso antes de aterrissar em Brasília. Sacudir em grandes altitudes é ruim porque incomoda, mas não por ser inseguro. Além disso, seguir em linha reta é mais rápido e mais barato. Acostumado com as exigências da passageira, o futuro Ministro do STM costumava brincar: “Veja aqui, presidente, por onde a senhora quer ir”.
Como brigadeiro, Joseli não exerceu nenhum cargo de comando dentro da FAB, o que não impediu que seu nome fosse cogitado fortemente para a sucessão de Saito. Seu principal predicado: a proximidade com a Presidente. A indicação ao STM foi imposição de Dilma Rousseff.

7 respostas

  1. Se entre sequestradores e sequestrados é até possível se criar fortes vínculos de amizade (chamada “Síndrome de Estocolmo”), então, por que não entre um(a) Presidiário/presidanta e o seu piloto particular ?

  2. Qual a surpresa? Aos amigos do Rei tudo, sempre foi assim. Vc vai indicar um inimigo seu, para um bom cargo? Se preencher os requisitos mínimos, sempre será alguém que vc conhece.

  3. Nunca Exerceu nenhuma atividade como Brigadeiro e foi piloto do “Força Aérea rum” desde Ten Cel, daí virou juiz do STM e agora “presidento”. Já que foi indicação da Dilma tá tudo ok!

  4. Se algum dia alguém perguntar sobre o que da mais resultado na vida entre trabalhar duro ou ser um bajulador, ja sabem a resposta: é melhor puxar um saco do que puxar uma carroça ! simples assim…kkk

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo