Escolha uma Página

Militar que deu socos e vassouradas em dupla de garis pensou que os profissionais haviam filmado a esposa e a filha em aula de ginástica

Felipe Torres, Carlos Carone, Mirelle Pinheiro
Alan da Silva Fonseca, 47 anos, é investigado por agredir, na manhã da última quarta-feira (13/7), uma dupla da garis que limpava a rua na 712/912 Norte. O suboficial da Marinha desferiu socos e acertou vassouradas nos trabalhadores do Sistema de Limpeza Urbana (SLU) depois de achar que estariam filmando a esposa, a filha e mais duas mulheres durante uma aula de ginástica — na verdade, um dos profissionais usava um aparelho de geolocalização para registrar os locais por onde eles haviam feito o serviço.
“Realmente, eu errei, não podia ter chegado e batido nele. Foi um momento de nervoso. Fica uma lição para mim”, lamenta.
Segundo o militar, um dos funcionários havia terminado de limpar a rua e teria ido para trás do grupo de mulheres a fim de olhá-las. “Ele varreu a rua toda, voltou sozinho e ficou olhando. Minha esposa chamou a atenção dele duas vezes, e ele saiu correndo. Cheguei nervoso”, explica.
“Não bati em um gari, agredi um cara que estava importunando a minha filha, de 13 anos, e minha esposa. Peço perdão a ele, mas a gente que tem família é complicado. E os dias de hoje estão aí. É estuprador, as mulheres não podem andar com roupa de educação física, com nada”, completa.
A Marinha foi procurada, mas não respondeu aos questionamentos da reportagem até a publicação desta reportagem. O espaço segue aberto para eventuais manifestações. Leia mais.
NA MIRA(METRÓPOLES)/montedo.com

Skip to content