Escolha uma Página

Para o vice-presidente, alvo do crime seria o indigenista Bruno Pereira

Eduardo Gayer
O vice-presidente Hamilton Mourão (Republicanos) afirmou nesta segunda-feira (20) que o assassinato do jornalista inglês Dom Phillips foi um “dano colateral” pelo fato de estar junto ao indigenista Bruno Pereira, que também foi morto na Amazônia. Ele ainda considerou a possibilidade de haver um mandante para os crimes, o que a Polícia Federal nega até o momento.
— Vai aparecer, se há um mandante. Se há um mandante, é comerciante da área que estava se sentindo prejudicado pela ação, principalmente, do Bruno, e não do Dom. Dom entrou de gaiato nessa história, é dano colateral — afirmou o vice-presidente a jornalistas no Palácio do Planalto.
Mourão ainda chamou o assassinato de Dom e Bruno de “morte estúpida”. O pescador Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como Pelado, e o seu irmão Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como Dos Santos, já confessaram a participação nos crimes.
— Essas pessoas aí que assassinaram covardemente os dois são ribeirinhos — declarou o vice-presidente.
ESTADÃO CONTEÚDO/montedo.com

Skip to content