Escolha uma Página

Herculano Barreto Filho
Do UOL, em São Paulo

Leanderson Paulino com uniforme do exército ucraniano (Arquivo pessoal)

Nos últimos dias, dois ex-militares do Exército brasileiro têm compartilhado vídeos e fotos em seus perfis no Instagram na zona de combate na Ucrânia em apoio ao país invadido pelas tropas russas.
Os combatentes brasileiros afirmaram ao UOL que integram a Legião Internacional de Defesa Territorial da Ucrânia, uma tropa formada atualmente por cerca de 20 mil estrangeiros com treinamento militar que queiram combater os russos, de acordo com o governo ucraniano.
Em um dos primeiros registros nas redes sociais, o paulista André Kirvaitis e o pernambucano Leanderson Paulino, ambos de 27 anos e com residência fixa na Europa, posaram com farda militar, carregando fuzis, em uma área de mata na Ucrânia — o paradeiro é mantido sob sigilo para evitar que as forças russas descubram a localização.
Eles também gravaram imagens do alojamento e do momento em que montam o próprio armamento.
Em entrevista ao UOL na manhã de quinta-feira (10), ambos disseram integrar uma unidade especial com outro combatente brasileiro e dois portugueses. Paulino informou ter deixado Londres, na Inglaterra, para se apresentar às forças ucranianas.

Eu fui convidado para fazer parte de uma tropa especial, não estou mais como um militar convencional. No meu pelotão, estão os melhores. Militares de várias nacionalidades, que já operaram no Afeganistão, Iraque e Síria. São guerreiros experientes” Leanderson Paulino

Já Kirvaitis foi de carro da Alemanha até a Polônia, onde se alistou na fronteira com a Ucrânia.

A gente veio para ajudar a Ucrânia, porque os outros países não estão fazendo nada. Não tem como deixar o povo à mercê de ser invadido por outro país”André Kirvaitis

UOL/montedo.com

Skip to content