Escolha uma Página

Lúcio Vaz
Ministros do governo Bolsonaro que são pré-candidatos a governador ou senador viajam com frequência para os seus redutos eleitorais em jatinhos da FAB. Inauguram ou visitam obras e fazem “entregas do governo”. O retorno eleitoral é garantido. Alguns partem desses redutos para outros estados. Um deles foi à missa de jatinho. Quem mais concentra os voos para o seu estado é o ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni. Foram 22 dos 32 deslocamentos em jatos oficiais. O ministro chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, não é pré-candidato, mas fez três voos como único passageiro e dois com apenas um acompanhante – quase um “Uber” aéreo.
Pré-candidato ao governo do Rio Grande do Sul, Lorenzoni fez 23 voos como ministro Trabalho, sendo 14 deles com visitas a cidades gaúchas. Fez palestra sobre “O Trabalho Pós-pandemia”, em Bento Gonçalves; entregas do governo federal nos 1.000 dias do governo Bolsonaro, em Canoas; esteve no lançamento do livro “Escola Cívico-Militar: uma esperança para o Brasil”, em Porto Alegre; no Foro de Desenvolvimento da Bacia do Rio Uruguai em Alegrete; e fez palestras para empresários em Santa Maria e na capital gaúcha.
Como ministro da Cidadania, já havia feito oito viagens em 2021 – sete para o Rio Grande do Sul. Não há registro disponível no ministério da agenda dessas viagens. Fez ainda uma viagem para Erechim, em junho, como ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República.
GAZETA DO POVO/montedo.com

Skip to content