Escolha uma Página

Monumento foi criado para brasileiros que atuaram na 2ªGM

(ANSA) – Um monumento dedicado à memória das enfermeiras e da equipe médica da Força Expedicionária Brasileira (FEB), regimento enviado pelo país para lutar pela libertação da Itália na Segunda Guerra Mundial, foi inaugurado nesta sexta-feira (23) na Piazza della Resistenza, em Pistoia.
A iniciativa foi organizada pela associação Linea Gotica Pistoiese Onlus e pelo Exército Brasileiro em homenagem aos profissionais de saúde que ajudaram os feridos de guerra no primeiro hospital de campanha criado na cidade italiana, em 1944.
A cerimônia contou apenas com as autoridades institucionais, devido à pandemia do novo coronavírus. Estiveram presentes o prefeito de Pistoia, Alessandro Tomasi, o adido do Exército junto à Embaixada do Brasil na Itália, o coronel André Luiz dos Santos Franco, alguns representantes da sede diplomática brasileira em Roma e religiosos.
Durante o evento, a medalha “Tributo alla FEB” também foi afixada na faixa municipal de Pistoia, onde está o Monumento Votivo Militar, construído no local que abrigava o antigo cemitério de pracinhas.
A inauguração foi possível após uma série de estudos para elaborar e colocar em prática a ideia e graças também à contribuição fundamental da Fundação Cassa di Risparmio di Pistoia e Pescia, que apoiam as iniciativas locais.
O monumento é feito de mármore bruto com uma base de pedra. O canteiro de flores foi realizado com terra brasileira, enquanto que as placas comemorativas foram feitas de metal com acabamento acetinado.
“A amizade entre o Brasil e a cidade de Pistoia se renova mais uma vez graças à afixação de uma placa comemorativa na área dedicada à memória do jardim na Piazza della Resistenza, em um canteiro posicionado em frente à entrada da Fortaleza, lembrando a Força Expedicionária Brasileira (FEB), que nos anos da Segunda Guerra Mundial fazia parte do 5º Exército”, diz um comunicado oficial da prefeitura.
A FEB chegou à Itália em setembro de 1944, em um dos momentos mais críticos da guerra. As primeiras lutas evidenciaram a equipe médica brasileira, que contou com 73 voluntários.
ANSA/montedo.com

Skip to content