Escolha uma Página

Em contraponto, o vice-presidente também apontou excessos na condução do STF. General é primeiro do alto escalão do governo a comentar caso

Mariana Costa
O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) comentou o caso do deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ). Para o general, o parlamentar se excedeu no exercício da imunidade parlamentar, o que levou o Superior Tribunal Federal (STF) a também se exceder no contragolpe.
Mourão foi a primeira autoridade do alto escalão do governo federal a falar abertamente sobre o caso. A declaração foi dada à CNN na manhã desta quinta-feira (18/2).
“Não se chega ao equilíbrio somando-se os excessos. O deputado seguramente excedeu-se no exercício da imunidade parlamentar. Contudo, isso não autoriza que outros agentes se excedam também, porque assim o sistema de freios e contrapesos fica contaminado”, disse o vice-líder.
Mourão apontou que esse equilíbrio “decorre da separação de poderes e exige a temperança constitucional ante excessos inconstitucionais”. Para ele, o caso gerou uma “crise desnecessária”.

Crítica
Após a declaração do vice-presidente, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PT-PR), rebateu o militar.
“Quem está cometendo excessos faz tempo é esse tipo de gente, inclusive dentro das Forças Armadas, e a começar pelo presidente da República que estimula os ataques antidemocráticos e de ódio. Cabe agora à Câmara dar o exemplo e coibir qualquer ameaça às instituições e à democracia”, disse a petista à revista Fórum.

Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), por sua vez, até o momento não se manifestou sobre o caso. De acordo com O Globo, os auxiliares do chefe do Executivo recomendaram que o presidente não se envolva na prisão do parlamentar para não causar desgastes com o Judiciário. Leia mais.
METRÓPOLES/montedo.com

Skip to content