Escolha uma Página

A revista Época presta um mau serviço ao jornalismo ao publicar matéria de Thiago Herdy e Ana Clara Costa, cuja chamada alerta para “As 809 vítimas da Covid-19 nas Forças Armadas“. Só depois de saber que “os generais não culpam Bolsonaro”  o leitor descobre que, dos militares mortos, 770 são da reserva remunerada ou reformados, portanto idosos e enquadrados nos grupos de risco.
Apesar do sensacionalismo barato, Época acaba por revelar que 39 militares da ativa morreram vitimados pela COVID-19. Isso, num efetivo de 372.300 homens, onde 29 mil testaram positivo, com uma taxa de incidência 2,5 vezes maior do que a observada na população em geral.

Skip to content