Escolha uma Página

Depois da enxurrada de boatos em decorrência das movimentações de oficiais generais, fruto da corriqueira “dança de cadeiras” a cada promoção, uma do Presidente Jair Bolsonaro foi alvo de interpretações as mais estapafúrdias.

Decreto
O Diário Oficial da União de ontem publicou o Decreto 10.299, de 30 de março, transferindo o Comando de Artilhara do Exército de Porto Alegre para Formosa, município goiano localizado no entorno do Distrito Federal.
Foi o que bastou para o surgimento das teorias conspiratórias de praxe, segundo as quais, o “Mito” estaria trazendo os canhões do Exército para perto de casa, buscando proteção para um possível golpe.

Bobagem
A migração de unidades de artilharia de para o Planalto Central faz parte de um planejamento a longo prazo que vem sendo executado há vários anos pelo Exército.

Alto escalão
Em nível de Alto Comando, a artilharia tem que ser apoiada por foguetes. Poucos campos de instrução permitem treinamentos com o Sistema Astros, equipamento utilizado pelo Exército. O de Formosa é um deles. Esse foi um dos fatores que, aliado à localização estratégica, fez com que o Exército centralizasse toda sua artilharia de foguetes no município goiano. Sem margem para teorias conspiratórias.

Em tempo
O Decreto foi apenas a formalização de uma situação que já existe na prática. O Comando de Artilharia do do Exército está funcionando em Formosa desde 29 de janeiro. A cerimônia de inauguração contou com a presença do vice-presidente, do ministro da Defesa, do comandante do Exército e do governador de Goiás.

Inauguração do Comando de Artilharia do Exército em Formosa, em 29 de janeiro (Imagem: CComSEx

Com informacões do Coronel de Artilharia Cristóvão Liotti

Skip to content