Escolha uma Página

Segundo BO registrado no 19º DIP, os dois sargentos se desentenderam por conta de uma vaga de estacionamento na rua do policial militar

Natasha Pinto / [email protected]
Manaus – O sargento Heverton Ribeiro Brito, 44, da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM) foi baleado três vezes tendo como suposto autor dos disparos o também sargento, do Exército, [J.C.C.]. O crime ocorreu na noite deste domingo (29), no bairro Nova Esperança, zona oeste da capital. Dois tiros atingiram as costas e o terceiro o abdômen da vítima.
Segundo o Boletim de Ocorrência (BO) registrado no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), os dois sargentos se desentenderam por conta de uma vaga de estacionamento na rua do policial militar. Após o ‘bate-boca’, o sargento Ribeiro teria sido perseguido pelo sargento [J.C.C.].
Ao sair do carro e tocar a campainha da casa de sua mãe, o sargento do Exército teria efetuado os três disparos contra Ribeiro e fugido do local. A mãe da vítima, que encontrou o filho na sarjeta de casa, teve um princípio de infarto.
O sargento da polícia militar foi socorrido e encaminhado para o Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto, em estado grave, onde precisou passar por cirurgia na madrugada desta segunda-feira (30) e segue internado.
De acordo com o presidente da Associação das Praças da Polícia e Bombeiro Militar do Amazonas (Appbmam), sargento Igor Silva, o sargento Ribeiro corre o risco de ficar paraplégico.
“Conversei com a esposa dele e fui informado que o nosso colega pode ficar paraplégico, já que um dos projéteis está alojada na bacia. O sargento do Exército cometeu um crime, uma tentativa de homcídio e ele chegou e saiu pela porta da frente do 19º DIP, isso é inadmissível”, completou o presidente da Appbmam.
O caso foi registrado no 19º DIP, onde sargento [J.C.C.] já prestou depoimento na noite deste domingo. Ele está aguardando o inquérito no quartel do Comando Militar da Amazônia (CMA), que fica na Avenida Coronel Teixeira, bairro Ponta Negra, zona oeste da capital.

Nota
Em nota, o Exército informou que após ter se apresentado de maneira voluntária às autoridades policiais, o Poder Judiciário colheu depoimento do referido militar, o qual, até o presente momento, encontra-se respondendo ao processo em liberdade.
Além disso, o Comando Militar afirmou que está prestando todas as informações solicitadas pelas autoridades policiais de forma a contribuir com o andamento das investigações.
D24am/montedo.com

Skip to content