Escolha uma Página

Quatro pessoas da mesma família morrem após elevador despencar do nono andar de prédio no litoral SP
Acidente aconteceu na noite desta segunda-feira (30) na Rua Guararapes, no bairro da Vila Belmiro em Santos. De acordo com o Corpo de Bombeiros, não havia outros ocupantes na cabine.

Gabriel Gatto e Juliana Steil, G1 Santos
Santos (SP) – Quatro pessoas da mesma família morreram após um elevador despencar do nono andar de um edifício da Marinha em Santos, no litoral de São Paulo, na noite desta segunda-feira (30). De acordo com o Corpo de Bombeiros, não havia mais ocupantes no interior da cabine no momento do acidente.
De acordo com relato dos familiares à TV Tribuna, Jucelina Santos, que morava no prédio, esposa de um suboficial da Marinha, desceu ao térreo para buscar a irmã, o cunhado e o sobrinho, que haviam acabado de chegar de Santo André, em São Paulo, para passar o réveillon em Santos.
Na subida até o nono andar, onde morava, o elevador apresentou problemas e despencou, matando a família. Ainda não há informações sobre quais problemas ocasionaram o acidente.
Moradores do prédio da Marinha informaram ao G1 que o equipamento já apresentava problemas. Imagens obtidas nesta quarta-feira (1º) mostram a parte superior do elevador, destruído após a queda.
De acordo com o comandante do 8º Distrito Naval da Marinha, o elevador de serviço do edifício passou por manutenção e avaliação e foi liberado para uso no último dia 23.
Em entrevista ao G1, moradores que preferiram não se identificar relataram que os elevadores do prédio apresentam problemas há anos. “Eles param no meio do caminho, a porta não abre, eles travam, eles balançam, dá tranco. O botão de emergência nunca funcionou”, relata uma moradora. “Já paramos muitas vezes entre um andar e outro. Ficávamos aguardando o porteiro, quando tinha, até ele resgatar a gente. Ele puxava a gente pela metade e destravava o equipamento”, relata outro.
Ainda de acordo com os moradores, o problema é recorrente e ocorre há anos. “Moro aqui há seis anos e isso sempre aconteceu. Sempre houve esses problemas, frequentemente. Ficávamos de dez a trinta minutos esperando resgate nesses casos”, relata o morador.
“Isso quando a porta ficava entreaberta e ouviam a gente. Precisávamos ficar batendo na porta até alguém ouvir, ou até alguém sentir nossa falta, porque nem sinal de celular nós tínhamos quando o elevador estava de porta fechada. Ficar preso no elevador é algo rotineiro”.

Elevador fica destruído após acidente que deixou quatro pessoas mortas em Santos, SP — Foto: G1 Santos

Nota da Marinha
A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP), informa com pesar a ocorrência de acidente com o elevador do Edifício Tiffany, Próprio Nacional Residencial de militares na cidade de Santos, que lamentavelmente vitimou a esposa e mais três familiares de um militar que serve na CPSP.
O Capitão dos Portos de São Paulo e a Tripulação da Capitania transmitem as condolências aos familiares e amigos pela inestimável perda. A Marinha está dando todo o suporte possível às famílias. O respectivo Inquérito Policial Militar será aberto para apurar o ocorrido.
G1/montedo.com

Skip to content