Escolha uma Página

Resultado de imagem para tá ok?Ante o colossal erro estratégico que foi a proposta de Projeto de Lei de reestruturação da carreira dos militares, as Forças Armadas tratam de acalmar o público interno, após os protestos indignados que tomaram conta das redes sociais nos últimos dias.

Mutuca tira boi do mato
O alvoroço virtual movimentou os atores militares e políticos envolvidos no processo. Logo após a divulgação do áudio bombástico de Kelma Costa, Bolsonaro correu ao Facebook para avisar que não tinha conhecimento da proposta, que benefícios ou sacrifícios seriam divididos igualmente, etc e tal. Já o deputado Hélio Lopes materializou-se no Ministério da Defesa em plena tarde de domingo, para afirmar que a proposta trará “grande avanço”. À noitinha já era possível identificar um movimento da cúpula do Exército para minimizar o impacto altamente negativo da proposta.

Silêncio ensurdecedor
Ao contrário do deputado Hélio Lopes, os demais militares eleitos silenciaram vergonhosamente.

Fake News? ‘Çei’!
Em claro diversionismo, a versão oficial afirma ser fake news o documento que foi compartilhado à exaustão via whatsapp e disponibilizado aqui no blog na quinta-feira. Ora, ora! É um texto extenso e complexo, muito bem redigido, com uma técnica legislativa impecável, aliada à coerência e coesão textuais primorosas. É óbvio tratar-se do projeto que foi entregue pelo MD ao Ministério da Economia na última quarta-feira (13).

Falsas!
Estas sim! -são as diversas tabelas de vencimento que correram a web – e não foram publicadas aqui, é bom que se lembre.

Sai o sargento, entra o subtenente-mor
Um dos itens mais criticados, a graduação de sargento-mor foi substituída pela de subtenente-mor, acima da de subtenente.

Skip to content