Escolha uma Página
Coronel Wolney Dias afirmou que o comandante militar do Leste já se colocou à disposição. Vídeo feito por morador do Lins registrou fuga de criminosos que mataram Luiz Gustavo Teixeira.
Coronel Teixeira é morto por criminosos no Lins (Foto: Divulgação/PMRJ)
Coronel Teixeira é morto por criminosos no Lins (Foto: Divulgação/PMRJ)
Henrique Coelho, G1 Rio
O comandante geral da Polícia Militar, coronel Wolney Dias, afirmou nesta quinta-feira (26) que, após a morte do comandante do 3º BPM (Méier), existe a possibilidade de chamar as Forças Armadas para atuar em conjunto com a Polícia Militar na caçada aos assassinos do coronel Luiz Gustavo Teixeira.
“Há pouco, falei com o secretário de Segurança [Roberto Sá] sobre a possibilidade de receber apoio das Forças Armadas, e o comandante militar do Leste já se colocou à disposição. Vamos pedir uma reunião com o CML para dar uma posição a este respeito ” , afirmou Wolney.
O comandante da PM também afirmou que a corporação fará um cinturão de segurança na região para prender os criminosos e que o quartel-general da corporação está sendo transferido para o batalhão do Méier.
Serão empregados 300 homens de diversos batalhões da capital, do Comando de Operações Especiais (COE) e do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE).
As operações poderão fechar Autoestrada Grajaú Jacarepaguá, a Avenida 24 de Maio e a Rua Barão do Bom Retiro, acessos às maiores favelas da região. Na tarde desta quinta (26), a Grajaú-Jacarepaguá já foi fechada para a ação da PM.
“Nós estamos no Complexo do Lins e em diversos locais, Cachoeirinha, Gambá e outros que, à medida que estamos recebendo informação, vamos operando”, disse Wolney.
Wolney Dias também falou sobre o coronel Teixeira, a quem chamou de ‘amigo dedicado’, que foi morto na Rua Hermengarda, no Lins de Vasconcelos, Zona Norte do Rio. Um vídeo, feito por um morador do Lins, registrou a fuga dos assassinos do oficial (veja acima).
“Um oficial digno, comprometido, que amava muito a sua instituição. O coronel Teixeira era residente na área do batalhão, tinha um profundo carinho pela unidade e tenho certeza que estava realizando um sonho profissional. Ele sempre estará vivo como um amigo dedicado e profissional exemplar”, disse Wolney sobre o oficial, que estava há 26 anos na corporação.
Operação no complexo do Lins
Operação no Lins para buscar assassinos de comandante da PM (Foto: Reprodução/TV Globo)
Operação no Lins para buscar assassinos de comandante da PM (Foto: Reprodução/TV Globo)
Na tarde desta quinta-feira (26), a PM deu início a uma operação no conjunto de favelas do Lins para tentar prender os suspeitos de matar o comandante do 3º BPM – um suspeito já teria sido identificado. O G1 apurou que a polícia já sabe inclusive que, a princípio, três criminosos tiveram participação na morte, dois numa moto e um num carro Audi.
Bandidos iriam promover arrastão
Segundo a polícia, o carro descaracterizado em que estavam o coronel Teixeira e o motorista, também PM, bateu de frente com bandidos que desembarcaram para iniciar um arrastão, dando início à troca de tiros. O veículo do policial foi atingido por 17 tiros na Rua Hermengarda, na altura do Lins de Vasconcelos. O coronel foi baleado no tórax e morreu.
O cabo Ney Vilar Bastos Filho, que conduzia o veículo, foi atingido por um na perna, atendido no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, e transferido para o Hospital Central da PM, no Estácio. Ainda segundo a polícia, ele não corre risco de vida.
G1/montedo.com
Skip to content