Escolha uma Página
Exército informou que ele não foi afastado das atividades e que é alvo de investigação. Militar toca clarinete e saxofone na banda do 2º Batalhão de Infantaria Leve.
Cabo Thiago Xavier foi flagrada por passageira no metrô de São Paulo (Foto: Reprodução/TV Globo )
Cabo Thiago Xavier foi flagrada por passageira no metrô de São Paulo
(Foto: Reprodução/TV Globo )
Por G1 Santos
Quase um mês após ser flagrado por uma jovem se masturbando em um vagão do Metrô de São Paulo, o cabo do Exército Thiago Xavier Barboza, de 33 anos, permanece exercendo suas atividades normalmente como músico no 2º Batalhão de Infantaria Leve (2º Bil), em São Vicente, no litoral paulista. Ele é alvo de uma sindicância.
O caso ocorreu às 7h30 do dia 8 de setembro, na Linha Verde do Metrô, e foi noticiado pelo Fantástico, da TV Globo, no último domingo (1º). A jovem, de 21 anos, estava sentada ao lado do militar e o gravou com a câmera do celular, ao perceber movimentos repetitivos que ele fazia sob uma mochila que carregava no colo.
“Pensei: ‘Bom, alguma coisa não está normal’. Ele começou a fazer movimentos mais contínuos e mais rápidos. A primeira coisa que eu pensei foi em gritar e pedir ajuda, mas aí, depois, eu vi que podia fazer uma outra ação. Então, eu filmei e tirei foto do indivíduo, para ter uma prova de que aquilo tinha acontecido”, disse.
O cabo Xavier foi detido por seguranças de uma estação, depois que a jovem os alertou sobre os atos libidinosos. Na Delegacia de Polícia do Metrô (Depom), os policiais encontraram e apreenderam uma faca e dois objetos eróticos na mochila dele, que negou todas as acusações feitas à autoridade policial.
As imagens captadas pela jovem, enquadrada como testemunha no caso, fizeram com que a polícia o indiciasse por prática de ato obsceno. Ela também prestou depoimento sobre o que viu. Thiago foi liberado na mesma manhã para responder na Justiça sobre o ocorrido, após a assinatura de termo circunstanciado.
A Polícia Civil notificou as Forças Armadas no dia 28 e, segundo o Centro de Comunicação Social do Exército, um procedimento investigativo foi aberto no dia seguinte. A sindicância interna tem prazo de conclusão de 30 dias e, se constatada culpa, o cabo poderá ser preso ou licenciado “a bem da disciplina”.
Músico tornou-se militar há um ano e serve no 2º Bil em São Vicente, SP (Foto: Reprodução/TV Globo)
Músico tornou-se militar há um ano e serve no 2º Bil em São Vicente, SP (Foto: Reprodução/TV Globo)
Xavier é músico do Exército Brasileiro e até a última segunda-feira (2) era visto no batalhão exercendo suas atividades normalmente. Ele toca clarinete e saxofone na Banda de Música da unidade, onde, até então, não havia qualquer registro negativo sobre sua conduta de militar, segundo informações oficiais.
Ainda conforme o Exército, Thiago ingressou nas Forças Armadas em 1º de março de 2016, por meio de concurso público para cabo músico temporário. “O militar permanece exercendo suas funções como integrante da Banda de Música, aguardando a solução da sindicância”, pontuou. O G1 não conseguiu contato com o militar.
G1/montedo.com
Skip to content