Escolha uma Página
Militar da Coreia do Norte foi o primeiro a atravessar a zona desmilitarizada em três anos
Soldado norte-coreano observa a fronteira a região fronteiriça do país com um binóculo
Soldado norte-coreano observa a fronteira a região fronteiriça do país com um binóculo(Jacky Chen/Reuters/VEJA)
O jovem soldado norte-coreano que desertou na segunda-feira e passou para a Coreia do Sul através da fronteira mais fortificada do mundo fugiu porque apanhava muito no Exército, segundo informou nesta terça o Ministério da Defesa de Seul. O soldado raso de 19 anos “decidiu escapar do Exército por causa das fortes surras que recebia com regularidade”, informou um porta-voz da Defesa, depois que as autoridades sul-coreanas fizeram um primeiro interrogatório com o desertor, o primeiro militar a atravessar a zona desmilitarizada em três anos.
O jovem militar norte-coreano se apresentou na segunda-feira em um posto de fronteira das Forças Armadas do Sul na cidade de Hwacheon, a cerca de 118 quilômetros a nordeste de Seul e situado à beira da Zona Desmilitarizada, a faixa que divide as duas Coreias no paralelo 38. O jovem fez uma difícil travessia a pé de mais de uma semana entre a mata depois que deixou seu posto no último dia 7.
Nos últimos dias, a imprensa sul-coreana relatou que o regime de Kim Jong-un buscava reforçar as medidas de controle para evitar que seus soldados perto da fronteira desertassem para o país vizinho. Nos últimos anos, foram registrados entre 1.000 e 3.000 casos anuais de norte-coreanos – a maioria de civis – que buscam asilo na Coreia do Sul, com a imensa maioria das deserções na fronteira da Coreia do Norte com a China. As deserções são extremamente raras na região de fronteira entre as Coreias devido à forte vigilância nos dois lados.
Veja/montedo.com
Skip to content