Escolha uma Página
Esclarecimento do ministro da Defesa aos leitores do Poder Aéreo
Ministro J Wagner em AH-2 Sabre em Porto Velho - foto Sgt Johnson - FAB
Ministro da Defesa, Jaques Wagner, a bordo de um helicóptero Sabre, da Força Aérea Brasileira
A Assessoria de Comunicação Social do Ministério da Defesa solicitou ao Poder Aéreo, na noite desta quinta-feira (08.05), por e-mail, a publicação do seguinte “Esclarecimento”:
“O ministro da Defesa, Jaques Wagner, que se encontra em viagem oficial à Europa para as comemorações dos 70 anos da vitória dos aliados sobre o nazifascismo, esclareceu hoje ao jornalista Roberto Lopes, que não esteve reunido com os comandantes das Forças Armadas, na semana passada, para tratar de contingenciamento do orçamento em até 50%.
Wagner informou não há nenhuma definição sobre os referidos cortes, e que aguarda a assinatura do decreto presidencial que estabelecerá o novo orçamento.
O ministro informou que tem conversado com a presidenta Dilma Rousseff sobre os principais projetos tocados pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica na tentativa de preservá-los.
Lembrou ainda que o setor de Defesa tem recebido os maiores volumes de investimentos nos últimos 12 anos em comparação ao passado atingindo a marca de 1,5% do PIB (Produto Interno Bruto).
Para ele, é necessário entender a necessidade do ajuste fiscal do governo, e visualizar que a possibilidade de contingenciamento de recursos é um desafio que será enfrentado pelo Ministério da Defesa, e todos os demais ministérios”.

Leia também:

Desastre: ministro diz que cortes na Defesa podem eliminar até 50% do orçamento

NOTA DO EDITOR
A mensagem se refere ao texto intitulado “Desastre: ministro diz que cortes na Defesa podem eliminar até 50% do orçamento”, publicado pelo Poder Aéreo na quinta (08.05). O texto causou ansiedade nas Forças Armadas porque revelava que Jaques Wagner só assegurava a continuidade, sem cortes, dos programas PROSUB (Programa de Desenvolvimento de Submarinos) e FX-2, de aquisição dos caças Gripen.
Na noite da quinta, em conversa telefônica com este editor, a chefe da Assessoria de Comunicação Social do Ministério da Defesa, jornalista Sônia Carneiro, explicou que será necessário aguardar o decreto presidencial que vai estipular o tamanho do ajuste fiscal em cada ministério, para que a Defesa, informada sobre a cota de sacrifício que lhe cabe, priorize os programas que serão mantidos a salvo da tesoura da área econômica do governo.
Segundo ela, em entrevista recente à Revista Época, Jaques Wagner mencionou, efetivamente, cortes “de até 50%” em seu orçamento, e se lembrou de citar o PROSUB e o programa FX-2, e só não mencionou os demais programas prioritários das Forças Armadas por uma falta de lembrança.(Roberto Lopes)
PODER AÉREO/montedo.com
Skip to content