Escolha uma Página
Sistema de monitoramento de fronteiras começa a operar em novembro no Mato Grosso do Sul
Dourados (MS) – Foi realizada nesta sexta-feira (24) uma demonstração do projeto-piloto de implantação do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron) do Exército Brasileiro.
A apresentação foi feita ao ministro da Defesa, Celso Amorim, que, em companhia de autoridades civis e militares, visitou a 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, em Dourados (MS), onde será instalado um dos centros de operação do Sisfron. A expectativa é de que o novo centro comece a funcionar já a partir de novembro.
Orçado em R$ 12 bilhões, o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras pretende fortalecer a capacidade de ação do Exército na faixa de fronteira do país, uma área uma área de 1,2 milhão de quilômetros quadrados. Por esta razão, o Sisfron é considerado o maior sistema de monitoramento de fronteiras do mundo.
Trata-se de um conjunto integrado de recursos tecnológicos, tais como sistemas de vigilância e monitoramento, tecnologia da informação, guerra eletrônica e inteligência que, aliados a obras de infraestrutura, vão reduzir vulnerabilidades na região fronteiriça.
O projeto, que deverá estar totalmente implantado até 2021, contará, nesta fase piloto, com 68 antenas de comunicação e uma infovia.
Para o ministro Celso Amorim, o Sisfron vai beneficiar não só a área de fronteira. “O sistema também permitirá enfrentar problemas que atingem grandes cidades, como drogas e contrabando de armas. Isso tudo com uma ampla consciência da importância da tecnologia e da indústria brasileira”, disse.
De acordo com o general Juarez Aparecido de Paula Cunha, que está à frente do Comando Militar do Oeste do Exército, o Sisfron dará apoio ao Plano Estratégico de Fronteiras do Governo Federal e ajudará a promover maior interação entre as Forças Armadas e órgãos de segurança pública e inteligência.
“O Sisfron permitirá a cooperação interagências e maior capacitação profissional. Além disso, o sistema vai contribuir para a geração de emprego e renda”, afirma o general.
Estima-se que, nos próximos anos, serão gerados cerca 1 mil empregos diretos e 4 mil indiretos com a instalação do novo sistema. O Sisfron também deverá contribuir com o reaparelhamento das Forças Armadas na faixa fronteiriça, com a melhoria em infraestrutura e a aquisição de novos meios como armamento, viaturas e adestramento da tropa.
Com implantação conduzida pela empresa Savis, do grupo Embraer, o sistema que compõe o projeto piloto é composto por radares, sensores eletromagnéticos e optrônicos, componentes táticos e de comunicação satelital, infovias e centros de comando e controle.
Além de Dourados (MS), outros três centros de operação estão sendo implementados em quartéis nas cidades de Mundo Novo, Iguatemi e Caracol, no Mato Grosso do Sul.
Fotos: Jorge Cardoso (Ascom/MD)
MD/montedo.com
Skip to content