Escolha uma Página
Roberto Gozzi @BetoGozzi
Recentemente o jogador brasileiro naturalizado ucraniano, Edmar Lacerda, foi intimado a servir o exército da Ucrânia durante o período de desafeto com a Rússia. O atleta conseguiu uma dispensa e ficou livre do “combate”.
Ele não foi o único jogador de futebol convocado pelas forças armadas, até o Pelé, considerado o melhor jogador de todos os tempos, teve que cumprir com suas obrigações de cidadania, mas diferentemente do Edmar, o Rei não foi dispensado e serviu o exército brasileiro.
Confira uma lista de jogadores que prestaram serviços ao exército, até mesmo na segunda guerra mundial:

Adelino Gonçalves Torres, atleta do Cruzeiro. O jogador serviu o exército entre 1944 e 1945, na Segunda Guerra Mundial. O lateral integrou a Military Police (MP) da Força Expedicionária Brasileira-FEB nos campos de batalha em Livorno e Monte Castelo, na Itália. Adelino jogou no Cruzeiro entre 1943 e 1959.
Ceci (centro), Adelino (esquerda) e Didico (direita) no Cruzeiro
José Perácio Berjun, atleta do Flamengo. O atacante atuou por vários clubes, inclusive a seleção brasileira, até disputou uma Copa do Mundo, a de 1938. Perácio, como era conhecido, serviu o exército na Segunda Guerra Mundial e foi motorista do marechal Cordeiro de Farias. Voltou da guerra e continuou jogando futebol, o jogador encerrou a carreira no Rio de Janeiro, no clube Canto do Rio.
Walter Fazzoni, atleta do Corinthians e Botafogo, ficou conhecido como jogador soldado. O atleta serviu o exército na Segunda Guerra Mundial.
Emérito Fernandes dos Reis, atleta do Botafogo, mais conhecido como Mato Grosso, também serviu o exército na Segunda Guerra Mundial, jogava como zagueiro.


Henrique Fernandes Torquato, atleta do Botafogo, mais conhecido como Dunga, serviu o exército na Segunda Guerra Mundial, o zagueiro foi campeão carioca com o Botafogo em 1942.
Torquato foi zagueiro do Botafogo
Ephigênio de Freitas Bahiense, atleta do Botafogo, mais conhecido como Geninho, o atleta embarcou para a Itália em setembro de 1944. Ele estava entre os 25 mil pracinhas que lutaram na Segunda Guerra.

Florisval Lanzoni, atleta do Coritiba, mais conhecido como Neno, serviu o exército na Segunda Guerra Mundial, o atacante ganhou muitos títulos pelo Coxa.

Perciliano Afonso Emerenciano, atleta do Figueirense, mais conhecido como Chinêz, serviu o exército na Segunda Guerra Mundial. O zagueiro é ídolo do clube.
Chinez é o número dois(Álbum de Figurinhas do Campeonato 
Catarinense de 1950. Foto: Marcelo de Paula Dieguez)
Bidon, atleta do Madureira Futebol clube, serviu o exército na Segunda Guerra Mundial. O lateral lutou na Itália.
O Jurista Paulo Benjamin Fragoso Gallotti foi soldado com patente de cabo e serviu o exército brasileiro na Incorporação de 1964, lotado em São Paulo no “2º Esq. Rec. Mec” (2º Esquadrão de Reconhecimento Mecanizado), no Ibirapuera. Clique aqui e confira o seu Que Fim Levou.
Michel, atleta do Santos e Solano, que jogou no América de São Paulo, foram companheiros do Rei Pelé em 1959 nas forças armadas. Pelé serviu o exército meses depois de ser campeão do mundo em 1958, na Suécia. Clique aqui e confira o Que Fim Levou do Rei.
Em foto do acervo particular de Juarez Soares você vê Pelé servindo o Exército, no Vale do Paraiba

Pelé e o time do exército

Amarildo, reserva do Pelé na Copa de 1962, também serviu o exército. Clique aqui e confira o seu Que Fim Levou

Arthur Friedenreich, atleta brasileiro, um dia deixou a bola de lado para ir à guerra. Liderou um batalhão com quase 3.000 outros atletas e foi promovido a 2º tenente. Arthur Friedenreich tinha 40 anos de idade, e vinte de futebol, quando decidiu apoiar a Revolução Constitucionalista de 1932. Clique aqui e confira o seu Que Fim Levou.

Zagallo, atleta do Botafogo. O velho lobo serviu o exército em 1950, inclusive esteve no Maracanã, à serviço das forças armadas, na derrota do Brasil para o Uruguai, na final da Copa do Mundo. Clique aqui e confira o seu Que Fim Levou.
Mais jogadores de futebol que lutaram na Segunda Guerra:
O goleiro Bráulio do Atlético (MG), Careca do Fluminense, Alvanilo da Ponte Preta, Labatut do Olaria, Juvencio do Cocotá, Walter do Ideal, Timbira do Bonsucesso e Pasquera, D’Avila e Soares do Parque da Mooca.
Informações: acesse o “Blog O Resgate FEB
Fotos: pesquisa
TERCEIRO TEMPO/montedo.com
Skip to content