Escolha uma Página
Duas razões, uma Câmara
Militares no plenário?
Lauro Jardim
Jair Bolsonaro e Luiza Erundina estão trabalhando para organizar uma sessão solene na Câmara no dia em que o golpe de 64 completará 50 anos, no dia 31 de março. Por razões opostas, obviamente.
Henrique Eduardo Alves está com o pepino na mão. A principio, tentará convencê-los a fazer uma única sessão, com a presença de militares, convidados por Bolsonaro, e ex-militantes, levados por Erundina. Tem tudo para não dar certo, se é que um dos dois aceitará.
Bolsonaro já havia adiantado a Henrique Alves, inclusive, a ideia de ter no plenário um dos militares que participou da prisão de José Genoino, em 1972. Henrique Alves vetou.
Radar Online (Veja)/montedo.com
Skip to content