Escolha uma Página
Brasil está reduzindo tropas militares no Haiti, diz ministro das Relações Exteriores
Missão de paz brasileira está no país há nove anos
Soldados brasileiros chegam ao Haiti em 200423.06.2004/Ariana Cubillos/AP
Kamilla Dourado, do R7, em Brasília
O ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, disse nesta quinta-feira (6) que o Brasil está diminuindo a quantidade de militares brasileiros no Haiti. O ministro não especificou a partir de quando o contigente será enxugado nem o número de militares a serem retirados. Atualmente, 1.450 soldados das Forças Armadas do Brasil atuam no país caribenho.
— Estamos em processo de redução de militares no Haiti.
Segundo o ministro, que participou de audiência pública na Comissão de Relações Exteriores do Senado, já há um consenso sobre a retirada dos militares com a ONU (Organização das Nações Unidas).
Sobre a entrada de imigrantes haitianos, Figueiredo afirmou que o Itamaraty trabalha em Porto Príncipe para emitir os vistos para o Brasil o mais rápido possível.
— Temos feito a nossa parte ao acolher um contingente grande de haitianos, tanto [para] aqueles que entram com documentos e os que entram indocumentados. A nossa embaixada em Porto Príncipe está em processo de vistos aceleradíssimo. Mesmo com meios limitados e diante do número enorme, conseguimos conceder visto em prazo de um mês, que não é alto.
O R7 noticiou na semana passada que o número de imigrantes haitianos no País quase triplicou em 2013. Já são mais de 21 mil haitianos com o chamado “visto permanente por razões humanitárias”, incluindo os que receberam o documento no país caribenho e aqueles que chegaram ao País indocumentados.
A assistência a esses haitianos está sendo feito pelo Itamaraty e pelos ministérios da Justiça e do Desenvolvimento Social.
De acordo com Figueiredo, todos os casos de imigrantes ilegais estão sendo analisados pelo Conare (Comitê Nacional de Refugiados).
— A demanda subiu. Há a necessidade de nos aparelharmos cada vez mais. É um desafio que deve ser enfrentado, está sendo enfrentado.
Minustah no Haiti
O Brasil está no comando militar da Minustah (Missão da ONU no Haiti) desde 2004, período em que gastou cerca de R$ 2 bilhões. Atualmente, mantém aproximadamente 1.450 soldados na missão.
Em 2010, o contingente chegou a 2.300, após o terremoto que assolou o país em janeiro daquele ano.
O forte sismo de 9 graus na escala Richter provocou a morte de pelo menos 220 mil pessoas, deixando ainda 1,5 milhão de deslocados.
O Brasil registrou 21 vítimas, entre elas a médica sanitarista Zilda Arns, de 75 anos.
R7/montedo.com
Skip to content