Escolha uma Página

Estado e Exercito buscam solução para famílias ocupantes do Forte Príncipe

(Da Redação) Uma reunião foi realizada na última quarta-feira (9), entre representantes das 70 famílias para discutir a ocupação de uma área pertencente ao Exército Brasileiro na fronteira do Brasil com a Bolívia, no município de Costa Marques.
De acordo com Edinéia Gusmão, coordenadora de Regularização Fundiária da SEAGRI (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Regularização Fundiária), depois de ouvir a comunidade que ocupa a área administrada pelo 6º Batalhão de Infantaria de Selva, conhecido como “Batalhão Forte Príncipe da Beira”, uma contraproposta será encaminhada ao Exército Brasileiro, quando as partes envolvidas no processo de negociação vão definir as bases legais para que aquela comunidade continue explorando a área.
A proposta da prefeitura de Costa Marques é de um projeto para ocupar a área de forma racional, implementando o turismo, com a pesca esportiva e ecológica e visitação ao Forte Príncipe da Beira, um patrimônio histórico de Rondônia. Pelos cálculos da prefeitura, neste local podem ser gerados mais de 40 empregos diretos com a melhoria na infraestrutura local, com restaurante e guias turísticos formados para mostrar aos visitantes as belezas da região.
Durante o encontro ficou claro entre as partes que buscam uma saída sem trauma para esse processo de ocupação, de que seja encontrada uma solução técnica que atenda os anseios da comunidade, bem como do Exército Brasileiro. As alternativas estão sendo buscadas e com certeza serão encontradas, conforme afirma Edinéia Gusmão que representa a Seagri nas negociações.
Também estiveram presentes o procurador da República, Henrique Felber Heck; Fábio de Assis Menezes, presidente da Fetagro; e Juvêncio Ferreira Leite, representando o prefeito Chico Território; e outras autoridades. Com informações de José Luiz Alves – Assessoria Seagri.
Skip to content