Soldados do Exército são detidos suspeitos de roubar turistas no DF

Grupo tirava fotos quando foi abordado por suspeitos, armados com faca.
Soldados pertencem à Cavalaria Montada; Exército não se pronunciou.
Do G1 DF

Três turistas foram assaltados por militares do Exército por volta de 21h desta segunda-feira (26) em frente ao Museu da República, em Brasília. De acordo com a Polícia Civil, os três suspeitos, de 18, 19 e 23 anos, pertencem ao Regimento de Cavalaria Montada do Exército.
Os soldados foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) e estão à disposição da polícia do Exército. O G1 procurou o Exército, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.
De acordo com uma das vítimas, a estudante Luciana Maia, ela, um primo e um amigo tiravam fotos em frente ao museu quando os homens chegaram e os ameaçaram com uma faca. A estudante veio de Natal, no Rio Grande do Norte, para fazer um curso na Universidade de Brasília.
“A gente estava totalmente distraído, tirando foto, e de repente chegaram os três e anunciaram o assalto, que era para dar tudo que tem, carteira, relógio celular”, disse o administrador Mohammad Kharazmi.
“A gente meio que não acreditou no começo, mas aí um que eu não tinha visto chegou pro trás com uma faca nas costas e mandou passar tudo”, disse o gerente administrativo Carlos Rodrigues.
A polícia foi acionada por outras pessoas que visitavam uma exposição nas proximidades e localizou os suspeitos no Setor de Diversão Sul. Eles foram encaminhados para a 5ª DP.
Segundo a polícia, os homens tentaram se livrar dos documentos das vítimas quando avistaram o carro da PM, mas objetos dos turistas e a faca usada no crime foram encontradas com os suspeitos.
G1-montedo.com

3 respostas

  1. Homem para o carro para fazer rapel na Ponte Rio-Niterói
    Sargento do Exército diz à polícia que fazia protesto contra a situação dos militares no Brasil
    Maria Inez Magalhães e Tiago Frederico

    Rio – Um sargento do Exército foi preso na manhã desta terça-feira após fazer rapel na Ponte Rio-Niterói, na altura do Vão Central, na pista em direção a Niterói. De acordo com Vinicius Feliciano Machado, de 29 anos, ele realizou o ato para protestar contra a situação dos militares no Brasil.

    Vinicius disse que planejava o protesto há dois anos. "Quando se vai protestar, tem que ser feito algo que cause impacto. Avaliei o risco, fiz alguns ensaios. Nunca tive tanto medo na vida", disse o sargento que não se arrepende do ato.
    Militar fez rapel na Ponte Rio-Niterói e mobilizou policiais
    Foto: Severino Silva / Agência O Dia

    "Vou responder pelo que fiz, causei risco de acidentes, mas não me arrependo. Espero o apoio das pessoas, que se sensibilizem com a situação de todos profissionais de segurança do Brasil", afirmou o sargento que prometeu entrar em greve de fome até ouvir pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff sobre o caso.

    Uma megaoperação de resgate foi montada em instantes para que o homem fosse resgatado. Agentes do Grupamento Marítimo, um helicóptero da Polícia Militar e uma equipe da Polícia Rodoviária Federal e da CCR foram acionados para a ocorrência, por volta das 6h40. Vinicius foi levado ao local por um amigo, que ficou dentro do carro, no acostamento.

    O resgate durou cerca de 20 minutos. Uma faixa da via precisou ser interditada para o trabalho das equipes. Segundo a CCR, o tráfego em direção a Niterói ficou lento desde os acessos no Rio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo