Escolha uma Página
Aeronave bateu em rede de energia e caiu em mata, no município de Zortéa
Daisy Trombetta
Piloto tentou se ejetar antes de caça da FAB explodir na divisa entre RS e SC Daisy Trombetta/Agência RBS
Aeronave caiu na mata, em local de difícil acessoFoto: Daisy Trombetta / Agência RBS
O piloto da Força Aérea Brasileira (FAB) tentou se ejetar antes da aeronave da Base Aérea de Santa Maria (Basm) explodir no final da manhã desta quinta-feira, em Zortéa, na divisa entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O gaúcho André Ricardo Halmenschlager, 33 anos, estava sozinho no caça AMX e morreu no acidente.
As causas da queda ainda são investigadas. Testemunhas contaram aos peritos que, por volta das 9h30min, o caça pilotado pelo capitão aviador chocou-se com fios elétricos que passam por cima do Rio Pelotas, que separa as cidades de Zortéa e Machadinho (RS).
A aeronave caiu na mata, em local de difícil acesso. O corpo do piloto foi localizado cerca de uma hora depois do acidente, em meio aos destroços e muita fumaça causada pelas explosões durante os choques.
Toda a área do acidente, cujo acesso só é possível de barco, foi isolada pela Aeronáutica. Peritos estiveram no local atrás de provas que podem indicar os motivos que levaram à queda do avião. Ainda não é possível afirmar, por exemplo, se houve alguma falha mecânica.
O avião havia decolado da Base Aérea de Santa Maria para um treinamento operacional, o que justificaria a baixa altura do voo, quando bateu nos fios de alta tensão que levam a energia produzida pela Usina Hidrelétrica de Machadinho até uma subestação de Campos Novos.
Com a colisão, uma das torres de ferro que sustenta a rede foi partida ao meio. Testemunhas afirmam que o avião explodiu antes da queda, pois foram ouvidos pelo menos dois fortes estrondos nas redondezas.
Em nota, o Comando da Aeronáutica informou que já iniciou as investigações para apurar os possíveis fatores que contribuíram para o acidente. Os laudos devem ser divulgados em um prazo máximo de 90 dias.
Halmenschlager terá o corpo velado na sua terra-natal, Estância Velha, no Vale do Sinos. O aviador serviu na Base Aérea de Santa Maria por oito anos. Na Basm, ele passou pelo Esquadrão Centauro e atualmente integrava o Esquadrão Poker. Morava em Santa Maria com a mulher e dois filhos.
Zero Hora/montedo.com
Skip to content