Escolha uma Página
Força Militar: Pedras no meio do caminho do Papa em Santa Cruz

MARCO AURELIO REIS
Rio – Militares da Base Aérea de Santa Cruz respiram aliviados após a desistência de a unidade ser sede da Jornada Mundial da Juventude Católica. O evento, dos dias 23 a 28 de julho de 2013, trará o papa Bento XVI ao Brasil e, com ele, dois milhões de jovens católicos de todo o mundo. Pessoal da base listou problemas evidentes que agora foram percebidos pelos organizadores do jornada.
O piso sobre areia onde ficariam os jovens não suporta o peso de um Boeing que é bem inferior ao de 2 milhões de pessoas. Seriam necessárias obras caríssimas de concretagem. Dinheiro não havia. A área dos fundos do Hangar Seis, o chamado ‘hangarete’ em função de seu pequeno tamanho, é habitada por pacas, cotias e outros animais. Eles teriam que ser removidos ou fugiram para área da CSA e certamente não sobreviveriam. Dinheiro também não havia para evitar a mortandade.

Leia também:
Governo federal veta missa do Papa na Base Aérea de Santa Cruz

TRÂNSITO CAÓTICO
Além do piso sobre areia e os animais, as vias de acesso à base não suportariam o trânsito das caravanas de jovens. O acesso teria que passar por obras. Não havia dinheiro.
PROBLEMAS HOJE
Quanto ao trânsito, o pessoal da base chama a atenção para o caos atual. Para escapar do engarrafamento tem gente comprando moto para não chegar atrasado à base.
MORTE NA PROXIMIDADE
“As obras no BRT jogaram o trânsito para base”, conta uma fonte. “Mãe de um colega morreu num acidente numa rua com mão invertida pela obras”, completa.
O Dia Online/montedo.com
Skip to content