Escolha uma Página
TRE e Exército atuam na Zona Oeste ao som de carros eleitorais
No 2º dia de ocupação, marasmo de tropas, apreensões menores e questionamentos de moradores

Henrique de Almeida
Soldados reclamando do marasmo nas comunidades ocupadas por um dia, fiscais do Tribunal Regional Eleitoral(TRE) questionando a efetividade de sua fiscalização e moradores sem saber o que acontecerá após as 10 horas de presença do Exército e da Marinha. Tudo isso ao som de insistentes carros eleitorais com os candidatos da região.
O efetivo utilizado nas operações desta terça-feira (02) no bairro de Cosmos e Vila Vintém, em Realengo, foi de aproximadamente 600 homens da 9ª Brigada de Infantaria Motorizada, que apoiaram a fiscalização eleitoral realizada por 45 homens do TRE. Além dessas duas comunidades, foram ocupadas as comunidades Vila Sapê, em Curicica; Piraquê, em Guaratiba; e a favela do Timbau, no Complexo da Maré. O horário de atuação do Exército nos locais é das 8 às 18h.
Neste segundo dia de ocupação pelas tropas federais para garantir a segurança nas eleições municipais, na zona oeste e no Complexo da Maré, houve alguns aspectos interessantes.
“É que nem enxugar gelo”, diz fiscal do TRE
Em Cosmos, a apreensão de material irregular foi bem menor do que a do dia anterior em três favelas do Rio. O juiz responsável pela fiscalização do TRE no Muquiço na segunda-feira, André Ricardo Ramos, que esteve nesta terça-feira (02) em Cosmos, explicou o por quê dessa situação:
“Com os 250 kg apreendidos ontem no Muquiço, o efeito cascata é natural. As pessoas vão sendo avisadas e se livrando das propagandas. Isso é bom, muito bom”, comemorou Ramos.
Sem se identificar, um dos fiscais do TRE, no entanto, deu uma declaração curiosa. Ele disse que quando eles saírem da comunidade, as placas e propagandas irregulares voltarão a ser colocadas nos mesmos locais. Segundo ele, a fiscalização é como “enxugar gelo”.
Lucimar, comerciante na comunidade e morador do local há 35 anos, agradeceu a presença do Exército pela segurança proporcionada. Porém, ele fez uma ressalva:
“Aqui está muito tranquilo. O trabalho do Exército não precisava ser feito, o TRE bastaria”, avaliou o comerciante.O General Sarmento, comandante do Exército no local, disse que preferiu não se arriscar e destacou a recepção dos moradores:
” É melhor prevenir do que remediar em uma comunidade como essa. A relação entre as comunidades e o exército é muito boa, vide as nossas ocupações no Alemão”, lembrou o general. Soldados presentes no local comentaram que as coisas estavam muito tranquilas, ” até demais”, segundo um deles. Um chegou a declarar que estava até ” com sono” devido ao marasmo da operação.
Vila Vintém ao som de carros eleitorais
Em Vila Vintém, a movimentação tranquila foi alvo de surpresa do comandante do Exército no local, Coronel Marcos:
” Devido às características dessa favela, esperávamos algum confronto, ou pelo menos maiores problemas. Mas foi tudo tranquilo, sem nada de extraordinário”, contou o coronel.
Segundo ele, os maiores problemas são esperados em Antares, no bairro de Santa Cruz, na quinta-feira (04); e na favela da Coréia, em Senador Camará, na sexta-feira (05).
Maria, de 65 anos, mora na comunidade há 30 anos e estava muito feliz com a presença do Exército na favela Vila Vintém. No entanto ao saber que as Forças Armadas permaneceriam apenas por um dia no local, ela fez uma pergunta crucial:
” E depois, como vai ser? Como vai ficar? A presença deles aqui é muito boa, dá muita segurança”, apoiou a moradora.
Enquanto o TRE exercia a fiscalização dentro da favela, carros de som faziam a festa pelas ruas do bairro. Um deles chamava a atenção pela insistência em deixar o som incrivelmente alto, tocando um jingle eleitoral com melodia inspirada em um antigo hit de axé. O mesmo candidato festejado no jingle possuía farta propaganda eleitoral nas imediações da Vila Vintém.
Ao ser indagado sobre a situação das propagandas irregulares na Vila Vintém, o juiz Paulo Roberto Fragoso foi monossilábico em sua avaliação:”Foi muito bom, foi proveitoso”, limitou-se Fragoso, antes de entrar em uma viatura do Exército e deixar a comunidade.
Prisão em Curicica
Segundo informações do site do TRE, os fiscais do TRE-RJ fecharam uma associação de moradores que seria vinculada ao vereador e candidato à reeleição Marcelo Piui (PHS). O presidente da associação, que se apresentou como responsável pelo local, foi preso e levado para a Polícia Federal, na Praça Mauá. Foram apreendidos vários panfletos, placas e folders que atribuíam a Marcelo Piui o asfaltamento de ruas na comunidade.
Na quarta-feira (03), as tropas do Exército irão para as regiões do Terreirão, Rio das Pedras, Vila Kennedy e Barbante; na quinta-feira (04), para Anil, Tirol, Antares, Minha Deusa; sexta (05), para Muzema, Jardim Maravilha, Coreia e Carobinha; e sábado (06), para a Covanca, Caxangá, Sapo e Fumacê.
Já os soldados da Marinha ocuparão, na terça (02), o Morro do Timbau; na quarta-feira (03) a Baixa do Sapateiro; na quinta (04), a Nova Holanda; na sexta-feira (05) o Parque União; e sábado (06), a Vila do João. Durante esta semana, a operação das tropas será contra a propaganda ilegal.
No dia das eleições, domingo (07), as Forças Armadas ficarão dispostas no entorno dos locais de votação para combater a boca de urna. O esquema de segurança vai abranger as cidades de Campos dos Goytacazes e Macaé, no Norte Fluminense, Magé, na Baixada Fluminense, São Gonçalo e Itaboraí, na Região Metropolitana, Cabo Frio, na Região dos Lagos, e Rio das Ostras, na Região das Baixadas Litorâneas.

Jornal do Brasil/montedo.com

Skip to content