Escolha uma Página
Quatro aldeias de Campina Grande terão apoio das Forças Armadas no dia da votação
Além das quatro comunidades indígenas paraibanas, o apoio militar foi aprovado em mais 11 aldeias
O TRE-PB pediu o reforço com 10 dias de antecedência, pelo risco de acirramento da disputa, mas a Justiça concedeu apoio apenas no dia da votação
Quatro aldeias indígenas de Campina Grande, segundo maior município da Paraíba, receberão apoio das Forças Armadas durante as eleições. A decisão partiu do Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), depois do pedido de reforço enviado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE-PB).
Apesar da conquista, o pedido não foi atendido integralmente. O TRE-PB havia pedido a presença militar dez dias antes da data do pleito, com permanência até o término da votação, por conta do acirramento da disputa nos locais citados. No entanto, por maioria de votos, os ministros do TSE rejeitaram o pedido que consideraram exorbitante.
“Receio muito o precedente. E nós temos outras regiões em que talvez a segurança não seja a desejável e que poderiam também vir a buscar essa força federal”, declarou o ministro Marco Aurélio. A ministra Nancy Andrighi, da Paraíba, foi a única a votar a favor da ida militar com antecedência de dez dias, mas o argumento de Marco Aurélio convenceu os demais.
De acordo com a presidente do TSE, ministra Cármen Lúcia, há outra preocupação além do precedente. Ela informou que, se comparado às últimas quatro eleições, o número de pedidos de apoio militar federal aumentou em cinco vezes. Se antes a média era de 20 municípios por estado, no pleito de 2012 chega a atingir 100, em alguns casos representando 80% do Estado solicitante.
O apoio militar é concedido a zonas eleitorais onde a briga por votos pode pôr em risco a segurança do pleito e dos eleitores. Além das quatro comunidades indígenas paraibanas, o apoio militar foi aprovado em mais 11 aldeias na mesma sessão. São elas: Novo Aripuanã, Santa Isabel do Rio Negro, Itacoatiara, Benjamin Constant, Tapauá, Boca do Acre, Tabatinga e Manacapuru, no Amazonas; e Manoel Alves e Santa Cruz, no município de Itacajá, no Tocantins.
NE10/montedo.com
Skip to content