Escolha uma Página
General do Exército visita Memorial Rondon e reforça parceria com o Estado
Memorial Rondon, cujas obras estão paralisadas (do blog Turismo Rural)

A comunidade de Mimoso, localizada no município de Santo Antônio de Leverger (34 Km ao Sul de Cuiabá), recebeu nessa segunda-feira (05.03), a visita do general do Exército, Joaquim Renato Ferrarezi.

A passagem pela localidade se deu devido ao Memorial Rondon, obra inacabada, mas que é o maior monumento já erguido em homenagem à história da telegrafia em Mato Grosso, e indiscutivelmente símbolo das ações de um dos maiores desbravadores das terras mato-grossenses erguido em memória ao Marechal Candido Mariano Rondon.
De acordo com o general Ferrarezi, foi uma honra voltar às terras onde nasceu Rondon e contribuir para o resgate do seu trabalho. Ele veio a Mimoso em 2009 quando a MT-040 ainda não tinha sido pavimentada. “Hoje, mesmo vindo de helicóptero percebi que a estrada foi asfaltada. Quando estive pela primeira vez ainda era de chão com muita poeira. Foi um ótimo avanço”.
Outro detalhe frisado pelo general foi colocar o Exército à disposição para novas parcerias. Ele disse que fará o possível para dar continuidade à conclusão da obra do Memorial Rondon. “Estamos à disposição enquanto interlocutor no que acharem necessário para a conclusão da obra”, afirmou Ferrarezi.
Para o secretário Adjunto da Secretaria de Estado de Cultura (SEC-MT), Oscemário Daltro, que recepcionou o general e comitiva, a oportunidade é impar, pois Rondon fez a ponte entre Mato Grosso e o mundo. Ele destaca que a comunidade de Mimoso sempre foi destacada por onde passou seu nobre filho. “Em todos os lugares que passou Rondon nunca se esqueceu de frisar que veio de uma família humilde e que era de Mimoso”, comenta.

Perspectiva do Memorial (Blog Turismo Rural)

O arquiteto José Afonso Portocarrero, um dos responsáveis pelo projeto do Memorial Rondon, explicou ao general Ferrarezi o conceito da obra ser em formato circular – lembra uma oca e remete ao trabalho de Rondon como indigenista. Ele frisa que a altura dos pilares foi calculada para que o acervo esteja protegido na época das cheias, quando o acesso ao Memorial será feito por meio de duas passarelas erguidas acima do nível das cheias. A outra passarela, sustentará um jazigo, para onde serão transferidas as cinzas de Rondon, hoje depositadas no Cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro.

O servidor da Secretária de Estado de Desenvolvimento do Turismo (Sedtur-MT), Reinaldo Vaz Guimarães, representando a secretária Teté Bezerra, entregou um livro azul que evidencia as belezas naturais de Mato Grosso. Ele ainda pré-agendou para uma segunda ocasião com o general da Brigada João Batista Carvalho Bernardes, uma audiência com a presença da secretária Teté.

Participaram ainda da recepção ao general Ferrarezi, os moradores da comunidade de Mimoso, a diretora da Escola Estadual Santa Claudina, Adriana Aparecida Marques de Almeida, secretário de Cultura de Santo Antônio de Leverger, Pedro Galberto, e do produtor cultural Júlio Rocha que presenteou o general um exemplar do seu livro Cururu e Siriri do Rio Abaixo.
24 Horas News/montedo.com










Comento:
Segundo o blog Turismo Ruralas obras iniciaram no governo Dante de Oliveira, que terminou em 2002. Lá se vão mais de dez anos e o esqueleto do monumento cria mato em meio ao Pantanal. Eis uma amostra do respeito que se tem nos dias de hoje pelos Heróis Nacionais.
Skip to content