Escolha uma Página
Embraer lamenta decisão da Força Aérea dos EUA sobre Super Tucanos
Empresa brasileira afirma que cumpriu com todas as obrigações da licitação
A Embraer informou nesta terça-feira (28/02) que lamenta o cancelamento do contrato com a Força Aérea dos Estados Unidos que previa a aquisição de 20 aviões do modelo Super Tucano A-29, informado mais cedo pelos militares norte-americanos.
A empresa brasileira afirmou que participou do processo de seleção, questionado pelas Forças Armadas dos EUA, “disponibilizando, sem exceção e no prazo próprio, toda a documentação requerida” junto com sua parceira naquele país, a SNC (Sierra Nevada Corporation).
“A decisão a favor do Super Tucano, divulgada no dia 30 de dezembro de 2011, pela Força Aérea dos Estados Unidos, foi uma escolha pelo melhor produto, com desempenho em ação já comprovado e capaz de atender com maior eficiência às demandas apresentadas pelo cliente. A Embraer permanece firme em seu propósito de oferecer a melhor solução para a Força Aérea dos Estados Unidos e aguardará mais esclarecimentos sobre o assunto para, junto com sua parceira SNC, decidir os próximos passos”.

Leia também:
EUA cancelam compra de Super Tucanos da Embraer

O caso
De acordo com a agência Reuters, a Força Aérea dos Estados Unidos informou nesta terça-feira que irá cancelar o contrato de 355 milhões de dólares (ou R$ 604 milhões) para fornecimento de 20 aviões do modelo Super Tucano A-29, da Embraer.
O órgão militar norte-americano justificou sua decisão devido a problemas com a documentação, e que irá investigar e refazer a licitação, que é contestada na Justiça dos EUA. O contrato havia sido concedido pela Força Aérea dos EUA para a Embraer e a parceira Sierra Nevada Corp.
Em comunicado, o secretário da Força Aérea, Michael Donley, afirmou que o cancelamento é uma medida de correção. “Apesar de buscarmos a perfeição, nós, às vezes, não atingimos nosso objetivo. Quando isso ocorre, temos de adotar medidas de correção. (…) Uma vez que a compra ainda está em litígio, eu somente posso dizer que o principal executivo de aquisições da Força Aérea, David Van Buren, não está satisfeito com a qualidade da documentação que definiu o vencedor”.
A Embraer e a Sierra Nevada ganharam, em 30 de dezembro, o contrato para venda de 20 aeronaves, assim como treinamento e suporte. Entretanto, a licitação foi paralisada em janeiro, quando a concorrente norte-americana Hawker Beechcraft entrou na Justiça questionando a decisão.
De acordo com a Embraer, o Super Tucano A-29 foi desenvolvido para missões de contra-insurgência e atualmente é usado por cinco forças aéreas, segundo a Embraer.
Opera Mundi/montedo.com
Skip to content