Escolha uma Página
SUMIÇO DE PNEUS
Oficiais da Base são absolvidos
O ex-comandante da Base Aérea de Fortaleza, 
coronel Otto Voget, acabou sendo inocentado
FÁBIO LIMA
Cinco anos após o Ministério Público Militar do Ceará (MPM) ter denunciado cinco oficiais que ocuparam postos de comando na Base Aérea de Fortaleza, entre os anos de 2003 e 2005, a Justiça Militar da União decidiu, ontem, em Brasília, encerrar o processo, absolvendo os réus. Os militares eram acusados de crimes de peculato (apropriar-se de dinheiro ou outros bens em razão da função pública), e um coronel também por deixar de cumprir dever de ofício, por conta do ´desaparecimento´ e venda de pneus doados à Corporação pela Receita Federal.
O caso ocorreu em 2003, mas somente quatro anos depois, os acusados foram denunciados pelo MPM. Entre eles, dois ex-comandantes da Base Aérea de Fortaleza, os coronéis da Aeronáutica Otto Uwe Voget e Gilberto Evandro Machado Vieira. Também foram denunciados o tenente-coronel Breno Girão Carriello e os capitães Virgílio Coracy Alves Cavalcante e Vanderley Rodrigues da Silva. O julgamento dos cinco oficiais foi avocado (transferido) de Fortaleza duas vezes. Primeiro, o processo seguiu para Recife e, depois, encaminhado à Auditoria da 11ª Circunscrição Judiciária Militar, sediada em Brasília.
Sumiram
Na época, o caso teve grande repercussão na Imprensa local. O fato veio à tona revelando que parte de um lote de 1.820 pneus (254) que havia sido doado pela Receita à Base Aérea, desapareceu do quartel, o que caracterizou um furto. Em seguida, outra denúncia, já em 2005, apontou que o novo Comando da Base havia autorizado a venda de outra parte do lote doado, pelo preço de R$ 91,7 mil.
O advogado Delano Cruz fez a defesa dos militares em Brasília. A Justiça Militar considerou que as denúncias do MPM não procediam, houve apuração do fato e somente “erro administrativo”, o que inocentou os oficiais.
Diário do Nordeste/montedo.com
Skip to content