Escolha uma Página

Parceria entre UNIFEI e o 4º Batalhão de Engenharia beneficia comunidades vitimas das chuvas em Minas Gerais.


Nilcéia Fraissat


O projeto de cooperação firmado entre a Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI), e o 4º Batalhão de Engenharia de Combate de Itajubá esta ampliando o atendimento às vítimas das fortes chuvas em Minas Gerais. Há pelo menos dez anos o Laboratório Eletromecânico para Pequenas Centrais Hidrelétricas (LEPCH) da UNIFEI, realiza a recuperação de geradores de energia elétrica para o 4º Batalhão. A última peça recuperada foi o gerador de energia de 7,5 KVA. Após a entrega do gerador ao 4º Batalhão no dia 05 de janeiro, o equipamento recuperado foi enviado para a cidade de Guidoval, situada na Zona da Mata, próximo de Ubá Minas Gerais. O gerador foi utilizado para prestar apoio à comunidade que estava isolada após ter uma ponte destruída pela enchente.
Além de apoio a comunidades em risco, o 4º Batalhão utiliza os gerados para realizar o fornecimento de energia elétrica para acampamentos. José Carlos Grilo Rodrigues Professor e Coordenador do LEPCH, disse que a manutenção realizada nos geradores vai deste de reparos na parte mecânica a reparos na parte eletrônica de controle da unidade. Segundo José Carlos Grilo tanto a UNIFEI quanto o 4º Batalhão de Engenharia tiveram benefícios relevantes com a parceria.
“No caso da UNIFEI, ela vem utilizando esta parceria em vários projetos no campus. O batalhão tem dado colaboração imensa com relação a maquinários entre outros. Já o LEPCH, ele tem auxiliado o 4º Batalhão em termos de recuperação destas unidades, pois são unidades que não estão sendo comercializadas. É necessário toda a competência do nosso pessoal técnico e estagiários para que possa realizar a recuperação deste gerados, já que é difícil encontrar uma casa comercial”, disse.
Além do 4º Batalhão de Engenharia, o LEPCH tem prestado contribuições significativas a outras instituições como a Santa Casa de Misericórdia e o Hospital Escola de Itajubá.
Unifei/montedo.com

Comento:
É totalmente elogiável o esforço dos militares do 4º BEC em manter seus equipamentos funcionando, no caso específico, através dessa permuta com a universidade.
Por outro lado, observando a foto, é inevitável perguntar: quantos anos tem esse gerador?
Comparem a imagem acima com esta, de um modelo moderno:

É como colocar lado a lado uma jabiraca e uma Ferrari!
É mais uma evidência de que só o profissionalismo dos militares do andar debaixo evita que o Exército não esteja ainda mais sucateado do que já se encontra. 
BRASIL!


Skip to content