Escolha uma Página

Namorado-treinador acerta coração de atiradora: ‘Metade da medalha é dele’
Ana Luiza Ferrão foi a primeira brasileira do tiro a conquistar ouro no Pan


Gabriele Lomba

Ana Luiza é ouro no Pan de Guadalajara
(Foto: Gabriele Lomba / GLOBOESPORTE.COM)
A primeira atiradora brasileira a conquistar um ouro em Jogos Pan-Americanos recebeu uma montanha de parabéns em Guadalajara. E, de uma pessoa que torcia de longe, uma dúzia de mensagens pelo celular. Há dois anos, Ana Luiza Ferrão namora José Carlos Iengo. Além de atleta profissional, ele ainda é o treinador campeã pan-americana.
Ana Luiza usava o sobrenome Mello, de seu ex-marido. Agora, prefere ser chamada como Ferrão. Iengo, Major do Exército, disputou os Jogos Mundiais Militares, mas não se classificou ao Pan. E não pôde ir a Guadalajara para acompanhá-la.
– Metade dessa medalha é dele. É ele quem conduz meu treinamento, dá duro, fica atrás de mim pegando tempo de cada tiro, tem muita paciência.
O namoro coincide com o período em que Ana Luiza deixou as salas de aula. Convocada para os Jogos Militares deste ano, ela ganhou do Exército a oportunidade de se dedicar apenas aos treinamentos.
– Desde 2009 estou fora de sala de aula. Por isso os resultados estão aparecendo. Só estou fazendo isso. Antes eu não tinha tempo. Trabalhava e, nas horas vagas, treinava. Agora meu dia é só dedicado a isso.
Ana Luiza fez o caminho inverso da maioria dos atletas profissionais que se incorporaram às Forças Militares. Entrou no Exército quando estava terminando a faculdade de Biologia.
– Não sabia nada sobre Exército. Tenho apenas um primo que é militar. Fiz mais para ver como era – conta.
Aprovada no concurso, cursou a academia militar em Salvador e, só então, começou a dar aulas no Colégio Militar do Rio de Janeiro. Quando foi convocada aos Jogos Militares, ensinava uma turma do segundo ano do Ensino Médio.
O mundo acadêmico, porém, deve ficar trancado no armário até pelo menos 2012. Ana Luiza é a única atleta do tiro já classificada para os Jogos de Londres.
– Estava perseguindo essa medalha desde 2003, em Santo domingo. No Rio de Janeiro também não consegui. Acho que agora estava merecendo… Esse resultado é mais um degrau dessa escada que vou tentar subir até Londres. Mas vou tentar chegar até lá.
Globo Esporte

Nota do editor:
Ana Luiza é Major do Exército (QCO-Magistério/Biologia) da Turma de 2005 e serve no Colégio Militar do Rio de Janeiro
Skip to content