Escolha uma Página
Fraude suspende concurso da FAB
Vazamento do gabarito da seleção para dentistas da Força Aérea Brasileira anulou prova realizada em agosto
MARCO AURÉLIO REIS
O vazamento do gabarito de concurso para dentistas da Força Aérea não só anulou a prova aplicada em agosto como também é apurado pelo Ministério Público e Conselho Federal de Odontologia. O caso é polêmico. O gabarito foi encontrado com filha de um oficial superior.
“É um absurdo. A candidata não só estava com o gabarito como também saiu da prova se vangloriando dos demais concorrentes”, contou um militar. “Fizemos nova prova, mas ficamos com o pé atrás”, acrescenta um dos candidatos, que prestou novo exame no último dia 18. “O problema é que a beneficiada pela fraude era filha de um figurão na Aeronáutica, diretamente envolvido na seleção”, acrescentou o candidato.
Abordado pela Coluna, o Comando da Aeronáutica confirmou que o exame para dentista da Força Aérea havia sido anulado, mas não respondeu se o gabarito fora mesmo vazado por um tenente brigadeiro. Se limitou a informar que “em função de indício de irregularidade, a prova escrita de escolaridade e de conhecimentos especializados do Exame de Admissão ao Curso de Adaptação de Dentistas da Aeronáutica 2012 (CADAR/2012) foi anulada por meio da Portaria Depens 263-T/DE-2 de 11 de agosto de 2011”.
A FAB informou ainda que “os candidatos envolvidos foram devidamente afastados do processo seletivo, conforme preconizado pelas instruções específicas e o calendário de eventos foi retificado. O novo exame já foi aplicado em 18 de setembro de 2011 e transcorreu sem problemas.”
“O problema é que a beneficiada pela fraude era filha de 
um figurão na Aeronáutica, diretamente envolvido na seleção”
INQUÉRITO MILITAR
Segundo a Força Aérea, foi aberto um Inquérito Policial Militar que “ainda se encontra em andamento”. Como de costume, antes da conclusão do IPM, a FAB não fala em fraude, mas só em indícios, nem detalha nomes ou postos dos envolvidos ou menciona punições e sanções.
CONSELHO FEDERAL
Ainda de acordo com a Força Aérea foi a “ própria banca do concurso” que “fez a denúncia formal” da fraude ao Ministério Público e ao Conselho Federal de Odontologia. O caso vai passar, portanto, por investigação adicional das duas entidades.
Skip to content