Escolha uma Página
Mujica pede desculpas a presidente do Haiti por conduta de militares
O presidente do Uruguai, José Mujica, enviou um pedido oficial de desculpas a seu par haitiano, Michel Martelly, pela situação vexatória provocada por cinco oficiais da Marinha uruguaia, que integram a Missão das Nações Unidas para a Estabilização das Nações Unidas (Minustah), contra um jovem do país.
“Venho em má hora pedir a você e ao querido e heróico povo do Haiti as devidas desculpas diante do atropelo que alguns soldados do meu país perpetraram contra o Senhor Jhony Biulisseteth”, declarou Mujica, em uma carta dirigida a Martelly.
O governante uruguaio destacou que “sabendo que o dano produzido é irreparável, tenha você a segurança de que investigaremos até as últimas consequências e de que aplicaremos as máximas sanções aos responsáveis”.
Mujica esclareceu que pede desculpas também “em nome das nossas Forças Armadas que, tendo deixado quase quarenta mortos e incontáveis feridos e mutilados em diferentes Missões de Paz das Nações Unidas, se sente envergonhada pela conduta criminosa e vergonhosa de alguns poucos”.
A divulgação de um vídeo, na semana passada, que mostra um suposto abuso de cinco militares uruguaios contra um jovem haitiano de 18 anos provocou um escândalo no Uruguai e no Haiti.
O episódio levou o governo uruguaio a afastar o chefe da tropa deste país, a abrir três investigações e a iniciar o processo de repatriação dos envolvidos.
Por sua vez, a Comissão de Justiça do Senado haitiano informou ontem que se prepara para examinar “uma proposta de resolução” para a retirada dos cerca de 12 mil militares uruguaios do país, onde estão desde 2004.
A informação foi dada pelo senador Youri Latortue, que participou de um protesto contra a presença da tropa uruguaia na cidade de Port Salut, no sul do país, onde aconteceu o episódio.
ANSA
Skip to content